Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.672,76
    -3.755,42 (-3,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.402,73
    -283,30 (-0,54%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,00
    +0,04 (+0,05%)
     
  • OURO

    1.767,70
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    64.100,63
    +2.145,99 (+3,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.484,95
    +21,59 (+1,48%)
     
  • S&P500

    4.519,63
    +33,17 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    35.457,31
    +198,70 (+0,56%)
     
  • FTSE

    7.217,53
    +13,70 (+0,19%)
     
  • HANG SENG

    25.787,21
    +377,46 (+1,49%)
     
  • NIKKEI

    29.398,04
    +182,52 (+0,62%)
     
  • NASDAQ

    15.386,25
    -12,25 (-0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5077
    +0,0115 (+0,18%)
     

Minério de ferro pode cair ainda mais

·2 minuto de leitura

A China pode perder a força

Observando a crise de uma das maiores empresas chinesas, o governo chinês vem tomando algumas iniciativas, sendo que uma delas é reduzir os incentivos financeiros e diminuir a alavancagem da economia.

Esse processo pode gerar bastante volatilidade nos mercados, principalmente nas commodities, como é o caso do minério de ferro.

Por ser matéria prima essencial na construção civil, o minério de ferro vem se desvalorizando, uma vez que a China já não possui tanta necessidade. Outro ponto é a crise da companhia Evergrande.

A incorporadora que está com sérios problemas de liquidez, não terá tão cedo, capacidade para dar continuidade a projetos ou iniciar novas construções.

Inclusive, existem consumidores que não receberam seus empreendimentos ainda, mesmo tendo pagado pelo imóvel, a incorporadora já enfrenta problemas que vão além da liquidez.

Talvez a redução da alavancagem e a alta dos preços, podem ter influenciado na crise da Evergrande,

De qualquer forma, os impactos podem ainda ser piores do que aqueles que já são sentidos.

Hoje os mercados reagiram um pouco, mas reagiram. O Ibovespa fechou com alta de 1,29%, o S&P 500 caiu 0,08% e o MSCI China registrou valorização de 1,03%.

O USD/BRL caiu 0,96% e o EUR/USD registrou leve alta de 0,005%.

Amanhã tem a Selic

O presidente do Banco Central, Roberto Campos, já falou na semana passada que não vai radicalizar na política monetária nacional, em outras palavras, é provável que o juro não vá subir tanto de uma só vez.

Observando isso, um eventual aumento de 1,25% ou até 1,5% dificilmente vai acontecer. Então, amanhã temos tudo para terminar o dia com uma Selic em 6,25% ao ano.

O juro maior normalmente atrai mais investidores para a renda fixa, principalmente os investidores do exterior, uma vez que os juros em diversos países estão próximos do zero.

Por mais que o Brasil não seja um dos países mais seguros para se investir, comparado a outros países emergentes, o sistema financeiro nacional está bem estruturado e não mostra sinais de fraqueza, por exemplo.

No curto prazo, é provável que mais investidores que estão em bolsa, vão para a renda fixa. Ainda mais com o Ibovespa tão volátil e uma renda fixa cada vez mais valorizada.

Isso vai gerar boas oportunidades de investimento, inclusive em ETF. ETF que seguem o Ibovespa ou índice de Small Caps podem ser boas alternativas.

Fundos de investimentos que seguem tais índices, também são boas opções. Vale destacar que o juro maior, pode não surtir efeitos junto ao dólar. Como no Brasil há os atritos políticos e os sinais mistos da economia, mesmo com juro alto, o dólar pode permanecer acima dos R$ 5,20, por exemplo.

This article was originally posted on FX Empire

More From FXEMPIRE:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos