Mercado abrirá em 6 h 17 min
  • BOVESPA

    111.716,00
    -2.354,00 (-2,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,96 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,48
    -1,26 (-1,60%)
     
  • OURO

    1.644,50
    -11,10 (-0,67%)
     
  • BTC-USD

    18.738,94
    -287,85 (-1,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    429,12
    -15,41 (-3,47%)
     
  • S&P500

    3.693,23
    -64,76 (-1,72%)
     
  • DOW JONES

    29.590,41
    -486,29 (-1,62%)
     
  • FTSE

    7.018,60
    -140,92 (-1,97%)
     
  • HANG SENG

    17.765,03
    -168,24 (-0,94%)
     
  • NIKKEI

    26.431,55
    -722,28 (-2,66%)
     
  • NASDAQ

    11.275,00
    -101,75 (-0,89%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0659
    -0,0317 (-0,62%)
     

Minério de ferro e aço sobem após Zhengzhou retomar projetos habitacionais paralisados

Minério de ferro no porto de Zhoushan, China

Por Enrico Dela Cruz

(Reuters) - Os contratos futuros de minério de ferro subiram nesta quinta-feira nas bolsas de Dalian e Cingapura, depois que a cidade chinesa de Zhengzhou disse que começaria a construir projetos habitacionais paralisados, oferecendo algum alívio aos mercados preocupados com a fraca demanda de aço na China.

Os futuros do aço em Xangai também avançaram, apesar das preocupações com a intensificação das restrições da Covid-19 na maior produtora de aço e consumidora de minério de ferro do mundo.

O contrato de minério de ferro mais negociado para janeiro na Dalian Commodity Exchange encerrou as negociações com alta de 3,1%, a 706 iuanes (101,54 dólares) a tonelada, depois de atingir seu nível mais forte desde 30 de agosto, a 708,50 iuanes.

Na Bolsa de Cingapura, o contrato de referência do ingrediente siderúrgico para outubro subiu 4,1%, a 100,40 dólares a tonelada.

A cidade de Zhengzhou prometeu começar a construir todos os projetos habitacionais paralisados dentro de 30 dias, fazendo bom uso de empréstimos especiais, pedindo aos desenvolvedores que devolvam fundos desviados e incentivando algumas empresas imobiliárias a declarar falência, informou a Reuters, citando três fontes.

Compradores de imóveis em pelo menos 80 cidades da China ameaçaram interromper pagamentos de hipotecas, à medida que problemas de liquidez ou restrições da Covid-19 dificultaram os projetos, aumentando as preocupações com um mercado imobiliário em dificuldades.

A retomada dos projetos habitacionais é um bom presságio para a demanda por minério de ferro e aço, especialmente antes do inverno, quando as atividades de construção na China desaceleram.

"O mercado está cautelosamente ansioso pela demanda de setembro e outubro", disseram analistas da Zhongzhou Futures em nota, referindo-se ao pico da temporada de construção na China.

O vergalhão na Bolsa de Futuros de Xangai subiu 0,9%, enquanto as bobinas laminadas a quente avançaram 0,8%. O aço inoxidável ganhou 1,4%.

(Por Enrico Dela Cruz em Manila)