Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.786,43
    +113,67 (+0,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.298,20
    -104,50 (-0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,25
    +0,38 (+0,45%)
     
  • OURO

    1.782,70
    -2,20 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    66.055,57
    +1.995,83 (+3,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.538,50
    +57,70 (+3,90%)
     
  • S&P500

    4.536,19
    +16,56 (+0,37%)
     
  • DOW JONES

    35.609,34
    +152,03 (+0,43%)
     
  • FTSE

    7.223,10
    +5,57 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    26.136,02
    +348,81 (+1,35%)
     
  • NIKKEI

    29.255,55
    +40,03 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    15.347,50
    -30,00 (-0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5196
    +0,0234 (+0,36%)
     

Minério de ferro desacelera perdas apesar de cortes de energia

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Os futuros do minério de ferro recuperaram parte das perdas depois da queda no início da semana, mesmo com a piora da escassez de energia na China, que reforça expectativas de menor produção de aço no país.

Most Read from Bloomberg

Os futuros em Singapura têm uma semana volátil: os preços chegaram a subir para US$ 120 a tonelada, mas depois devolveram os ganhos. O agravamento da crise de energia na China atinge várias commodities, como alumínio e fertilizantes, e províncias que respondem por 66% do PIB da China podem enfrentar apagões, de acordo com a Bloomberg Intelligence.

Em Jiangsu, a segunda maior província produtora de aço da China, 70% das linhas de produção foram afetadas por medidas de controle de energia, segundo uma associação de siderúrgicas da região. Em todo o país, a produção mostrava queda de 7,2% na comparação mensal em meados de setembro, segundo pesquisa da China Iron & Steel Association.

Além das restrições de energia, os cortes de produção durante o inverno e a iniciativa para melhorar a qualidade do ar durante a Olimpíada de Inverno também devem pressionar os volumes de aço no curto prazo, disseram analistas do UBS como Myles Allsop em relatório.

“A China agora deve entregar uma produção de aço estável em 2021”, escreveram, prevendo que os volumes ficarão cerca de 60 milhões de toneladas abaixo do segundo semestre em comparação com o mesmo período do ano passado.

Do lado da oferta, as exportações globais de minério de ferro aumentam e mostram alta de 2% no acumulado do ano, disse o UBS, citando dados próprios de rastreamento de navios.

Em relação à crise da Evergrande, a China comprou uma participação da incorporadora em um banco regional em dificuldades na tentativa de limitar efeitos colaterais no setor financeiro. A crise da Evergrande impactou a confiança de investidores dos mercados imobiliário e de commodities. O setor imobiliário responde por cerca de um terço da demanda por aço na China.

Em Singapura, os futuros de minério de ferro subiam 1,5%, para a US$ 114,45 a tonelada às 15h28, no horário local, depois da queda de 7,4% na terça-feira, enquanto os preços na China avançaram 2,4%. Os futuros do aço também fecharam em alta em Xangai.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos