Mercado abrirá em 9 h 19 min

Minério de ferro corre risco de forte queda após resistência

Krystal Chia

(Bloomberg) -- O minério de ferro tem resistido bem à turbulência do mercado global desencadeada pela pandemia de coronavírus, tendo perdido muito menos terreno do que outras commodities industriais. Agora, essa relativa resistência está prestes a ser testada com mais alertas sobre uma potencial queda dos preços do material usado para a fabricação de aço.

O minério de ferro pode cair para US$ 70 a tonelada diante da perspectiva de excedente no próximo trimestre, segundo alerta do Citigroup nesta semana. A Wood Mackenzie também disse que os preços devem cair para US$ 70, mas acrescentou que há risco de a cotação atingir US$ 50 caso o mercado enfrente excesso de oferta. O preço de referência spot estava em US$ 87,10 na quarta-feira.

Enquanto commodities como petróleo a cobre afundam em consequência da redução do consumo no curto prazo provocada pela crise de saúde, o minério de ferro tem ido contra a maré. Essa força vem do fornecimento mais restrito de minas no primeiro trimestre, da produção contínua de aço na China e da especulação de que Pequim pode aumentar os estímulos quando a economia emerge da paralisação causada pelo vírus. Porém, com o início do segundo trimestre, a produção das minas pode aumentar justo quando bloqueios mundiais reduzem a demanda de aço.

“Ainda não vemos uma quantidade excessiva de minério de ferro transoceânico , mas os riscos aumentam e a balança se inclina para um maior impacto na demanda por minério de ferro do que na oferta”, afirmou Paul Gray, diretor de pesquisa da WoodMac. A fraqueza recente “é o início de uma tendência”, não algo pontual, disse Gray, referindo-se às perdas na segunda-feira e na semana passada.

Maior produção

As principais produtoras de minério de ferro também devem elevar a produção este ano, embora o risco de o vírus interromper o fornecimento permaneça alto. A Vale disse que planeja manter as metas de produção e vendas para 2020, com previsão de aumento da produção para 340 milhões a 355 milhões de toneladas.

“A oferta de minério de ferro transoceânico deve aumentar sequencialmente devido às interrupções do primeiro trimestre, e os altos preços devem incentivar o crescimento de produtores marginais”, disse o Citigroup, que alerta para um cenário imprevisível. Se o Covid-19 forçar o fechamento de minas em Pilbara, na Austrália, ou no Brasil, os preços podem subir, disse o banco.

Coma propagação do surto, siderúrgicas do mundo todo podem reduzir as operações, impactando o minério de ferro à medida que os volumes são redirecionados para a China, de acordo com a CITIC Futures. O risco é particularmente grande devido às reduções em usinas do Japão e Coreia do Sul, que usam tipos de minério semelhantes aos da China.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.