Mercado fechado

Minério de ferro cai com surtos de Covid na China e mudança de imposto na Índia

Trabalhadores no porto de Yingkou

PEQUIM (Reuters) - Os contratos futuros de minério de ferro caíram nesta segunda-feira, à medida que novos surtos de Covid-19 na China, maior produtora de aço do mundo, afetaram as perspectivas de demanda.

Também pesaram no sentimento as expectativas de aumento da oferta após a decisão da Índia de eliminar os impostos de exportação de minério de ferro de baixo teor.

Na Bolsa de Cingapura, o minério de ferro de referência para dezembro caíram 2,9%, a 95,7 dólares a tonelada.

O minério de ferro mais negociado para janeiro na Dalian Commodity Exchange da China chegou a cair 2,6%, mas reduziu as perdas para fechar em 745,5 iuanes (104,10 dólares) a tonelada.

Os contratos em ambas as bolsas registram ganhos semanais por três semanas consecutivas desde o final de outubro, já que as últimas medidas da China para fortalecer sua economia em declínio iluminaram as perspectivas de demanda.

No entanto, as preocupações com a atividade econômica de curto prazo ressurgiram com a China lutando contra vários surtos de Covid-19. No domingo, o país registrou 26.824 novos casos locais, aproximando-se dos picos de abril. Também registrou duas mortes em Pequim.

A Índia eliminou os impostos de exportação de minério de ferro de baixo teor e de alguns produtos de aço intermediários a partir de sábado, após meses de reclamações de mineradoras e siderúrgicas sobre a perda de oportunidades de vendas externas.

A Índia exportou 24,79 milhões de toneladas de granulados e finos de minério de ferro no ano passado e embarcou 10,79 milhões de toneladas de pelotas de minério de ferro, para as quais o governo rescindiu todas as tarifas, de acordo com Atilla Widnell, diretor administrativo da Navigate Commodities.

"Exportadores indianos encontrarão alguns compradores, predominantemente na China, que estarão ansiosos para utilizar finos e granulados de minério de ferro de baixo teor em um ambiente de margem de aço comprimida", disse Widnell.

(Por Siyi Liu e Dominique Patton)