Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.322,69
    +55,94 (+0,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Minério acompanha queda de commodities sob impacto de restrições

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- O minério de ferro ampliou as perdas com as restrições à produção de aço da China que esfriam a demanda e com o menor apetite por risco no mercado de commodities, depois que o país intensificou medidas para aliviar a crise de energia.

Most Read from Bloomberg

Os futuros em Singapura chegaram a cair mais de 8% em meio às expectativas de que a campanha do governo de Pequim para cortar emissões, reduzir a poluição e diminuir o consumo de energia vai pressionar a produção de aço. Autoridades em Tangshan, o polo siderúrgico da China, anunciaram limites de produção para algumas usinas na quarta-feira com o objetivo reduzir as emissões, segundo a consultoria Mysteel, citando um documento do governo local, que não retornou ligações da Bloomberg News.

Os preços do minério de ferro sentem o impacto das restrições ao aço na China no segundo semestre. O volume produzido mostra queda este mês, depois de atingirem o menor nível desde 2017 em setembro. Os mercados de commodities operavam com perdas na quinta-feira em reação aos planos da agência de planejamento do chinesa de impor novos limites aos preços do carvão para aliviar a crise de energia, que afeta o crescimento e a oferta de metais, embora os futuros do carvão tenham reduzido parte das perdas.

“A forte queda de hoje foi puxada principalmente pelo clima pessimista e de aversão ao risco devido às perdas no mercado de carvão, embora as restrições à produção de Tangshan ontem também tenham piorado as perspectivas para a demanda”, disse Lu Ting, analista da Shanghai Metals Market. O minério de ferro pode continuar a enfrentar pressão de baixa até que haja mais clareza sobre o nível de produção no acumulado no ano em novembro, disse.

Do lado da demanda, a redução dos investimentos em infraestrutura e mercado imobiliário desde o terceiro trimestre pesa sobre o consumo de materiais de construção, incluindo aço, escreveu a Huatai Futures em relatório. E os problemas financeiros da China Evergrande geram dúvidas sobre a saúde do setor imobiliário do país, um dos principais consumidores de aço.

Em Singapura, o minério de ferro chegou a cair 8,7%, cotado a US$ 107,40 a tonelada, e era negociado a US$ 113,60 às 15h19 no horário local. Os futuros em Dalian fecharam em baixa de 3,3%. Vergalhão e bobina laminada a quente reverteram as perdas do início da sessão e encerraram em alta em Xangai.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos