Mercado abrirá em 2 h 27 min
  • BOVESPA

    120.933,78
    -180,15 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.072,62
    -654,36 (-1,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,00
    +0,62 (+0,98%)
     
  • OURO

    1.769,20
    -1,40 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    55.751,92
    -1.165,27 (-2,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.259,48
    -39,48 (-3,04%)
     
  • S&P500

    4.163,26
    -22,21 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    34.077,63
    -123,04 (-0,36%)
     
  • FTSE

    6.936,08
    -64,00 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    29.135,73
    +29,58 (+0,10%)
     
  • NIKKEI

    29.100,38
    -584,99 (-1,97%)
     
  • NASDAQ

    13.838,00
    -59,25 (-0,43%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6841
    +0,0084 (+0,13%)
     

Millennials falam de finança como se estivessem em redes sociais

Lananh Nguyen
·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A geração dos millennials compartilha muito sobre suas finanças nas redes sociais, e também está aberta para falar sobre dinheiro na vida real.

É o que aponta uma pesquisa feita pelo Bank of America com americanos abastados, que descobriu que 85% dos millennials se sentiam confortáveis conversando com amigos e familiares sobre mudanças de planos de vida por causa de preocupações financeiras, em comparação com 75% de todos os entrevistados.

Até mesmo os salários, que muitas vezes são vistos como altamente privados, estavam em discussão entre 77% das pessoas entrevistadas que nasceram de 1978 a 1995, contra 59% dos entrevistados nacionalmente.

“Como geração, eles cresceram muito mais dispostos a se abrir e compartilhar suas próprias histórias”, disse Aron Levine, presidente de consumer banking e investimentos do Bank of America. “Eles estão aproveitando a tecnologia e estão abertos a ela, e o desejo de obter informações e feedback de colegas - tudo isso está impulsionando os millennials em todos esses tópicos financeiros.”

A geração dos millennials foi moldada por grandes eventos econômicos, incluindo a crise financeira global em 2008 e a pandemia de coronavírus em curso. Esses jovens também estão mais dispostos a discutir decisões imobiliárias, custos de saúde, riscos de emprego, contas e despesas do que a média nacional, de acordo com a pesquisa, que entrevistou 2.000 pessoas nos Estados Unidos com ativos investíveis de US $ 50.000 ou mais.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.