Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    61.051,58
    -59,98 (-0,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Robert Durst: Milionário que revelou assassinato de amiga em programa de TV é condenado a prisão perpétua

·4 minuto de leitura
Robert Durst olha para trás em tribunal, usando máscara para covid-19
Promotores chamaram Robert Durst de 'psicopata narcisista'

O herdeiro de uma empresa milionária do setor imobiliário dos Estados Unidos, Robert Durst, tema da série de documentários policiais da HBO The Jinx, foi condenado à prisão perpétua por matar sua melhor amiga.

Durst foi considerado culpado de matar Susan Berman em 2000 para impedi-la de falar com a polícia sobre o desaparecimento de sua esposa.

Aos 55 anos, ela foi encontrada com um tiro na cabeça em sua casa em Beverly Hills. A polícia acredita que Durst também matou duas outras pessoas.

Os promotores chamaram Durst, de 78 anos — que compareceu ao tribunal de Los Angeles para ouvir sua condenação — de "psicopata narcisista". Durst negou ter matado sua amiga.

Sua sentença por assassinato em primeiro grau exclui qualquer possibilidade de liberdade condicional, o que significa que agora muito provavelmente ele morrerá na prisão.

Segundo o júri decidiu, o crime conta com agravantes, incluindo assassinato por emboscada e assassinato de testemunha.

Os advogados de Durst disseram ao juiz na quinta-feira (14/10) que ele pretende apelar de sua condenação. O próprio Durst falou com o juiz apenas uma vez para dizer "sim" quando questionado se ele estava renunciando ao seu direito de comparecer em uma audiência futura.

Susan Berman era uma escritora policial e filha de um mafioso de Las Vegas, e atuou como porta-voz de Durst quando ele se tornou suspeito do desaparecimento de sua esposa.

O primo de Berman, Denny Marcus, disse ao juiz na quinta-feira: "Fui roubado ... de uma pessoa brilhante absolutamente extraordinária e inesquecível, cuja vida foi violentamente tirada dela."

Sareb Kaufman, que considera Berman sua mãe uma vez que ela namorava seu pai, disse: "Não tive um dia livre em 21 anos da destruição absoluta, tristeza e dor que isso me causou."

"Perdi tudo muitas vezes por causa dele... Perdi e me sacrifiquei mais do que qualquer um poderia imaginar", acrescentou.

"O assassinato de minha mãe e os eventos dos últimos 40 anos nunca vão me deixar. Você está satisfeito, Bob?"

A esposa de Durst, Kathleen McCormack, estudante de medicina, desapareceu em 1982 e é dada como morta.

O procurador Habib A. Balian levanta uma máscara no tribunal
Procurador Habib A. Balian mostra máscara usada por Robert Durst quando polícia o prendeu

McCormack desapareceu depois de passar o fim de semana na casa de campo do casal no Estado de Nova York. Segundo depoimentos, Durst demorou dias para avisar à polícia e à família da mulher sobre seu desaparecimento.

"A única esperança de redenção que você tem é ajudar a encontrar Kathy", disse Kaufman, pedindo a Durst que revele a localização do corpo de McCormack.

Os promotores de Nova York estão considerando apresentar novas acusações contra ele no caso de McCormarck, segundo a imprensa dos EUA.

Eles disseram que Durst, na verdade, assassinou três pessoas — a terceira sendo um vizinho idoso, Morris Black, que descobriu a identidade de Durst em 2001 enquanto ele estava se escondendo no Texas e fingindo ser uma mulher muda.

Na época, Durst foi absolvido por um júri de assassinar Black, argumentando com sucesso que o matou por legítima defesa antes de esquartejar seu corpo e jogar pedaços dele em uma baía.

Durst faz parte de uma das dinastias imobiliárias mais ricas e poderosas de Nova York. Seu irmão Douglas Durst, que testemunhou no julgamento, disse ao tribunal: "Ele gostaria de me matar." Ele cortou formalmente os laços com sua família e com suas empresas em 2006.

As acusações contra o milionário ficaram mais conhecidas no documentário da HBO The Jinx — que revelou uma fala dele explosiva, veiculada horas depois de sua prisão em 2015.

Segundo os produtores do programa, Durst foi ao banheiro após a entrevista sem lembrar que ainda estava usando um microfone sem fio.

"Aí está, você foi pego", ele sussurrou para si mesmo. "O que diabos eu fiz? Matei todos, é claro."

Horas antes de o último episódio ir ao ar em março de 2015, as autoridades prenderam Durst em Nova Orleans pelo assassinato de Berman. Os jurados assistiram ao clipe durante o julgamento.

Na época, o advogado de Durst disse que a prisão foi orquestrada para coincidir com o fim do documentário da HBO.

* Esta reportagem foi publicada originalmente em 17 de setembro e atualizada em 15 de outubro.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos