Mercado abrirá em 1 h 59 min
  • BOVESPA

    110.334,83
    +299,66 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.784,58
    +191,67 (+0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,56
    -0,08 (-0,13%)
     
  • OURO

    1.727,80
    +4,80 (+0,28%)
     
  • BTC-USD

    48.731,18
    +1.419,42 (+3,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    979,93
    -6,72 (-0,68%)
     
  • S&P500

    3.901,82
    +90,67 (+2,38%)
     
  • DOW JONES

    31.535,51
    +603,14 (+1,95%)
     
  • FTSE

    6.622,04
    +33,51 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    29.095,86
    -356,71 (-1,21%)
     
  • NIKKEI

    29.408,17
    -255,33 (-0,86%)
     
  • NASDAQ

    13.228,75
    -51,00 (-0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7721
    -0,0235 (-0,35%)
     

Miliciano Ecko domina Gardênia Azul de olho em território de rivais no Campinho e Praça Seca

Carolina Heringer
·2 minuto de leitura
Foto: Reprodução

As desavenças dentro de milícias que atuam no estado do Rio estão provocando disputas por territórios entre as quadrilhas. Há cerca de três semanas, comparsas de Wellington da Silva Braga, o Ecko, invadiram a Gardênia Azul, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio, passando a dominar aquele território. De acordo com fontes da Polícia Civil, um dos objetivos do grupo paramilitar é usar o local de base para expandir seus domínios para comunidades do Campinho e da Praça Seca.

Antes da chegada da quadrilha de Ecko, o controle da Gardênia estava nas mãos de aliados de Edmilson Gomes Menezes, o Macaquinho. O grupo havia passado a dominar a comunidade em dezembro do ano passado, com o enfraquecimento da milícia que antes dominava a área.

No início deste mês, criminosos da quadrilha de Ecko foram flagrados por câmeras de segurança durante a invasão à Gardênia Azul. Os criminosos aparecem nas imagens armados, utilizando gorros e roupas pretas. Ainda segundo fontes da Polícia Civil, apesar da entrada no território dos rivais, o domínio da quadrilha de Ecko ainda é instável, com riscos de ataques dos paramilitares expulsos.

Macaquinho também é chefe das milícias de Campinho e da Praça Seca. Ecko teria decidido atacá-lo após ter desavenças com Danilo Dias Lima, o Tandera, aliado de Macaquinho. Sabendo da ligação entre ambos, após romper com Tandera, Ecko também cortou relações com Macaquinho, passando a planejar tomar seus territórios.

Um dos motivos para o desentendimento entre Ecko e Tandera, apontados como grandes aliados dentro da maior milícia do estado, foi a cobrança para a devolução de armas. Ecko teria exigido que Tandera devolvesse 38 fuzis que havia lhe emprestado, não tendo sido atendido pelo antigo comparsa.

A Delegacia de Repressão às Ações Crimosas Organizadas (Draco) está investigando as disputas de poder na Gardênia Azul. Na última quinta-feira, policiais da delegacia prenderam três integrantes da quadrilha de Ecko na comunidade. Segundo informações da Polícia Civil, pelo menos um dos presos participou da invasão à Gardênia, flagrada por câmeras de segurança. Ainda de acordo com informações da polícia, o trio foi flagrado no momento em que extorquia dinheiro de comerciantes. Um deles estava com uma pistola.