Mercado fechará em 2 h 53 min
  • BOVESPA

    108.023,34
    -378,93 (-0,35%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.209,03
    -145,83 (-0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    89,84
    -0,92 (-1,01%)
     
  • OURO

    1.812,30
    +7,10 (+0,39%)
     
  • BTC-USD

    23.097,66
    -824,72 (-3,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    536,16
    -21,19 (-3,80%)
     
  • S&P500

    4.119,46
    -20,60 (-0,50%)
     
  • DOW JONES

    32.801,25
    -31,29 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.488,15
    +5,78 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    20.003,44
    -42,33 (-0,21%)
     
  • NIKKEI

    27.999,96
    -249,28 (-0,88%)
     
  • NASDAQ

    12.983,00
    -200,25 (-1,52%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2391
    +0,0297 (+0,57%)
     

Milho sobe com seca na Europa e piora das condições nos EUA

(Bloomberg) -- Os futuros de milho subiram em Paris e Chicago, com uma seca que atinge a maior parte da região de cultivo da Europa e uma deterioração das condições da safra nos EUA.

Os campos na União Europeia foram atingidos pelo calor e pela secura neste verão, prejudicando o milho durante seu principal período de floração. A unidade de monitoramento de safras do bloco reduziu sua estimativa de rendimento em 8%, e dois terços do cinturão de milho do continente permanecerão sob estresse nos próximos 10 dias, de acordo com o Commodity Weather Group.

“É a fase crítica para o milho”, disse Thomas Joly, analista de milho do instituto agrícola francês Arvalis. “No momento, não temos chuva e as temperaturas estão muito quentes.”

Embora as condições sejam menos drásticas nos EUA, as avaliações da safra deslizaram abaixo das expectativas dos analistas na última semana, segundo dados do governo. As chuvas recentes ajudaram a aliviar a área afetada pela seca, mas o calor e a estiagem já prejudicaram partes do cinturão do milho.

Em Paris, os futuros de milho saltaram até 9.1% para 360 euros por tonelada, a maior alta desde março. Os preços em Chicago subiram até 3.2% e superaram US$ 6 por bushel pela primeira vez em uma semana.

O mercado também continua avaliando um acordo destinado a restaurar as exportações agrícolas da Ucrânia. Não está claro com que rapidez as exportações aumentarão com a guerra ainda em andamento.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos