Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    61.154,80
    +207,34 (+0,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Ciclone Gulab deixa dois mortos e dezenas de milhares de evacuados na Índia

·1 minuto de leitura
Cientistas atribuem às mudanças climáticas o aumento do número de ciclones que se formam no Oceano Índico (AFP/Handout)

Dois pescadores morreram e dezenas de milhares de pessoas foram evacuadas devido à chegada do ciclone Gulab à costa leste da Índia, afetada neste domingo (26) por fortes ventos e intensas chuvas, informaram as autoridades.

O ciclone tocou o solo entre os estados costeiros de Odisha e Andhra Pradesh pouco após as 18h locais (após as 09h em Brasília), com rajadas de ventos de até 95 km/h, segundo o departamento meteorológico indiano.

Os dois pescadores morreram quando seu barco, que viajava entre Odisha e Andhra Pradesh, virou, informou a imprensa local.

Outros três pescadores conseguiram nadar até a praia e uma sexta pessoa que estava na embarcação foi reportada como desaparecida, segundo o jornal Indian Express.

A tempestade, que se formou no Golfo de Bengala, foi acompanhada de "chuvas extremamente fortes", segundo o departamento meteorológico, que alertou para um "risco de inundações repentinas em algumas zonas".

No entanto, a intensidade do Gulab deveria diminuir "nas próximas horas", acrescentou.

Segundo moradores, árvores foram arrancadas em Andhra Pradesh, onde cerca de 110 mil famílias foram levadas para refúgios públicos temporários.

As autoridades dos dois estados ameaçados pediram aos moradores que vivem perto da costa que busquem refúgio e enviaram centenas de socorristas à região.

"Já evacuamos mais de 20 mil pessoas para escolas e edifícios governamentais que foram convertidos em abrigos anticiclone", declarou à AFP um funcionário do alto escalão, Bankim Hazra.

A cada ano, surgem cada vez mais ciclones no Oceano Índico, um fato que os cientistas atribuem às mudanças climáticas.

str-ja/abx/fio/erl/es/rpr/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos