Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,63 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,59 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,01 (-0,01%)
     
  • OURO

    1.753,90
    +2,50 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    47.505,31
    -419,45 (-0,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,61%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,42 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,96 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -43,25 (-0,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1975
    +0,0127 (+0,21%)
     

Milhões de americanos correm o risco de serem despejados

·2 minuto de leitura
Uma manifestação contra despejos em Nova York em setembro de 2020

Milhões de famílias americanas, que não puderam pagar o aluguel por meses por causa da crise, correm o risco de ser despejadas de suas casas a partir deste sábado (31), quando expira a moratória que os protegia.

Os congressistas da Câmara não chegaram a um acordo na sexta-feira para dar tempo adicional aos inquilinos em dificuldades. Isso, apesar do fato da a variante Delta do coronavírus estar causando um novo surto de casos de covid-19.

Uma comissão parlamentar propôs estender a moratória até 31 de dezembro, mas não obteve apoio suficiente, nem mesmo nas fileiras democratas.

"Infelizmente, nem um único republicano apóia esta medida. (...) É muito decepcionante que os republicanos na Câmara e no Senado tenham se recusado a trabalhar conosco nessa questão", lamentou a presidente democrata da câmara baixa, Nancy Pelosi, em um comunicado.

Uma fonte do Congresso disse à AFP que a proposta também está longe de ter o apoio unânime da bancada democrata.

"Este é um problema de saúde pública", disse Karine Jean-Pierre, porta-voz da Casa Branca, na sexta-feira durante a coletiva de imprensa diária.

Os parlamentares da Câmara começaram suas férias até o final de agosto, no sábado, e serão seguidos pelos senadores em uma semana, afastando qualquer esperança de um acordo rápido.

O Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) ordenou a suspensão dos despejos em setembro de 2020, já que a maior economia do mundo havia perdido mais de 20 milhões de empregos devido aos fechamentos durante a pandemia. O CDC argumentou que o aumento da falta de moradia aumentaria o contágio de covid-19.

Agora, mais de 10 milhões de pessoas estão com o aluguel atrasado, estima o CBPP, um instituto de pesquisa independente.

E cerca de 3,6 milhões de inquilinos acreditam que correm o risco de serem despejados em dois meses, de acordo com um estudo do Escritório de Estatística realizado no início de julho com 51 milhões de inquilinos.

O presidente Joe Biden pediu ao Congresso na quinta-feira que prorrogasse a medida, depois que uma decisão da Suprema Corte em junho determinou que a Casa Branca não poderia fazê-lo. Mas muitos o censuram por ter esperado até o último momento.

jul/rle/am/ll/lm/ap

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos