Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    58.138,59
    -1.025,36 (-1,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Milan sinaliza desistência de nova Superliga

·2 minuto de leitura
AC Milan

MILÃO (Reuters) - O Milan acompanhou a rival local Inter nesta quarta-feira ao indicar sua desistência da nova Superliga europeia, cujos planos já desmoronam.

"As vozes e as preocupações de torcedores de todo o mundo a respeito da Superliga foram expressas claramente, e o AC Milan precisa ser sensível às vozes daqueles que amam este esporte maravilhoso", disse o time italiano em um comunicado.

"Continuaremos a trabalhar duro para apresentar um modelo sustentável para o futebol".

Mais cedo, a Inter disse que não é mais parte do projeto.

O Milan foi um dos três clubes italianos que integraram os 12 membros fundadores anunciados no domingo, mas o plano veio abaixo quando os seis times da liga inglesa envolvidos desistiram na terça-feira.

Os espanhóis do Atlético de Madrid também recuaram, mas Barcelona e Real Madrid ainda permanecem.

O chefe da Juventus, Andrea Agnelli, disse à Reuters nesta quarta-feira que a Superliga, cujos membros fundadores não correriam risco de rebaixamento, não pode mais seguir em frente.

Os times sofreram uma pressão enorme do esporte e da sociedade em geral – políticos e até membros da realeza britânica engrossaram o coro da oposição.

O executivo-chefe do Milan, Ivan Gazidis, havia dito na terça-feira que a liga dissidente, que rivalizaria com a Liga dos Campeões da Uefa, seria boa para o clube e para o futebol como um todo.

O Milan disse em seu comunicado que aceitou o convite para participar "com a intenção genuína de apresentar a melhor competição europeia possível para torcedores de futebol de todo o mundo e pensando no interesse do clube e de nossos torcedores".

"Mudar nem sempre é fácil, mas a evolução é necessária para o progresso, e as estruturas do futebol europeu evoluíram e mudaram ao longo das décadas", acrescentou.

(Por Alan Baldwin)