Mercado abrirá em 6 h 6 min

Microsoft supera expectativas e mostra bom crescimento no início de 2019

Rafael Rodrigues da Silva
Empresa divulgou nesta quarta-feira (24) o relatório fiscal relativo ao primeiro trimestre de 2019, mostrando um grande crescimento no setor de soluções em nuvem e lucro e receitas além do esperado pelos analistas

Nesta quarta-feira (24) a Microsoft revelou os resultou de seu terceiro trimestre fiscal de 2018 (período relativo às vendas entre janeiro e março de 2019) e, para alegria de seus acionistas, superou as expectativas dos analistas para o período.

No geral, a gigante fundada por Bill Gates teve um crescimento de 14% em suas receitas durante os três primeiros meses do ano quando comparado ao mesmo período do ano anterior, alcançando o valor de US$ 30,6 bilhões — bastante acima dos US$ 29,86 bilhões esperados pelos analistas. A empresa também fechou o período com um lucro operacional de US$ 8,8 bilhões (19% a mais do que no mesmo período do ano passado) e viu suas ações aumentarem US$ 1,14 por ação no período — 14% acima do US$ 1 por ação esperado por Wall Street. Esse crescimento fez com que a empresa se aproximasse de um valor de mercado de US$ 1 trilhão, fechando o mercado nesta quarta (24) com o valor de US$ 960 bilhões.

Boa parte desse crescimento acima do esperado se deveu ao setor de serviços em nuvem da Microsoft (como Azure e o Office 365), que não apenas se tornaram vitais para a saúde da companhia como continuam a crescer em um ritmo saudável. Nos primeiros três meses deste ano, as receitas do setor de Intelligent Cloud (do qual o Azure faz parte) somaram US$ 9,7 bilhões, sendo o setor da empresa com maior crescimento, 22% maior do que no mesmo período do ano passado. E ainda que o relatório não divulgue números exatos sobre o Azure, a Microsoft afirma que houve um crescimento de 73% no uso do serviço.

Já o setor de Produtividade e Processos de Negócios ficou em segundo lugar no crescimento, graças ao Office 365. A divisão fechou o período com uma receita de US$ 10,2 bilhões, o que significa um crescimento de 14% em comparação com o mesmo período do ano passado. Esse faturamento foi bastante ajudado por um rápido crescimento no número de usuários do Office 365, que fechou o período com 34,2 milhões de contas.

Em último, mas ainda em crescimento, ficou a divisão de Computadores Pessoais da empresa, que inclui todas as receitas relativas às plataformas Windows, Surface e Xbox. O setor fechou o período com uma receita de US$10,7 bilhões — 8% maior do que no mesmo período do ano passado. Além dos 8% de crescimento geral, a Microsoft ainda revelou um aumento de 9% (quando comparado com o mesmo período do ano passado) nas licenças para Windows e 21% na venda de equipamentos Surface.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: