Mercado abrirá em 8 h 13 min
  • BOVESPA

    113.812,87
    +105,11 (+0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.729,80
    -4,24 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,17
    -0,33 (-0,36%)
     
  • OURO

    1.766,10
    -5,10 (-0,29%)
     
  • BTC-USD

    22.825,63
    -544,95 (-2,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    542,72
    -15,01 (-2,69%)
     
  • S&P500

    4.283,74
    +9,70 (+0,23%)
     
  • DOW JONES

    33.999,04
    +18,72 (+0,06%)
     
  • FTSE

    7.541,85
    +26,10 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    19.852,92
    +89,01 (+0,45%)
     
  • NIKKEI

    28.924,73
    -17,41 (-0,06%)
     
  • NASDAQ

    13.500,75
    -22,50 (-0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2115
    -0,0023 (-0,04%)
     

Microsoft Store proíbe venda de apps open source e desenvolvedores reclamam

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A Microsoft Store anunciou uma mudança nas suas regras para proibir a venda de aplicativos de código aberto. A partir do dia 16 de julho, nenhum desenvolvedor poderá cobrar por aplicativos open source, geralmente baixados gratuitamente fora da loja digital.

Segundo o Gerente Geral de Engenharia da Microsoft Store, Giorgio Sardo, a medida é necessária para combater a crescente epidemia de aplicativos falsos que usam códigos abertos para enganar o usuário. Softwares grátis, como o Mozilla Firefox, poderiam ser recriados por profissionais maliciosos para se passar pela versão original — porém com a cobrança de quantias diversas pelo uso.

O problema é que tal decisão deve afetar o faturamento dos desenvolvedores legítimos, porque perderão uma fonte segura e com boa visualização para disseminar suas soluções. Muitos criadores usam a Microsoft Store como uma ponte para tornar seus softwares conhecidos, aumentar a base de usuários e coletar arrecadações ara o projeto.

Com a mudança, a parte financeira deve ficar prejudicada, já que as doações precisariam ser feitas pelo site oficial, algo bem mais trabalhoso para o usuário. Um desenvolvedor e engenheiro de software chamado Hayden Barnes disse estar desapontado com a nova política da empresa. Junto dele, tantos outros se mostram tristes com o fim do suporte, afinal muitos devs independentes perderão a "oportunidade de criar projetos sustentáveis".

Medida poderia reduzir oferta de apps open source

No Twitter, outros desenvolvedores afirmaram que a medida pode reduzir a oferta de apps gratuitos na loja oficial da Microsoft. Isso porque em vez de criar um programa em código aberto, o desenvolvedor legítimo optará por criar algo proprietário para conseguir lucrar.

Sardo acredita que a mudança só deve prejudicar quem vende aplicativos de terceiros. “Nós absolutamente queremos apoiar os desenvolvedores na distribuição de aplicativos OSS com sucesso. Na verdade, já existem aplicativos OSS fantásticos na Loja! O objetivo desta política é proteger os clientes de listagens enganosas”, escreveu em um tuíte.

Após ouvir o feedback dos desenvolvedores, o gerente garantiu que levará o feedback para a empresa analisar a medida. Caso uma decisão não seja tomada até o sábado (16), é provável que muitos apps desapareçam na Microsoft Store nos próximos dias por descumprimento dos termos de serviço. O jeito é aguardar para ver se a gigante do software vai retroceder na decisão ou se manterá a proibição de cobrança por apps de código aberto.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos