Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    61.563,00
    +2.343,62 (+3,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,20
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Microsoft Store abre as portas para lojas de apps de outras marcas no Windows 11

·3 minuto de leitura

A Microsoft confirmou nesta terça-feira (28) que a Microsoft Store contará com aplicativos de lojas de terceiros, como da Amazon Appstore e da Epic Games, nos próximos meses. Esse era um movimento da companhia desde o anúncio da reformulação, mas com contornos mais consistentes a partir de agora.

Esta novidade foi confirmada pelo gerente geral da Microsoft Store, Giorgio Sardo, ao site The Verge. Segundo o executivo, os apps de lojas de terceiros terão uma página com detalhes do produto, o qual será encontrado por meio da busca por palavras-chave ou pela navegação, como já ocorre com os demais. “Hoje, estamos compartilhando que a Amazon e a Epic Games trarão seus aplicativos de vitrine para a Microsoft Store nos próximos meses, e estamos ansiosos para dar as boas-vindas a outras lojas também no futuro”.

O Discord é um dos apps a entrar na lista de disponibilização na Microsoft Store (Imagem: Captura de tela/Canaltech)
O Discord é um dos apps a entrar na lista de disponibilização na Microsoft Store (Imagem: Captura de tela/Canaltech)

Com a confirmação, fica clara a política de boa vizinhança da Microsoft ao trazer para seu lado plataformas consolidadas no mercado. A revisão completa da loja do Windows 11 deve oferecer uma experiência mais próxima do que o usuário já está acostumado, em vez daquele modelo antigo e sofrível da Microsoft Store antiga.

Um dos fatores positivos é o repasse integral de 100% da receita com a venda de apps e da possibilidade de uso de plataformas de pagamento alternativas. Porém, como já revelado, essa liberação não se aplicará a jogos, portanto é pouco provável que as pessoas consigam baixar Fortnite e pagar por skins pela loja oficial do Windows.

Mais lojas em breve

Outra negociação em curso desde junho, conforme antecipado pelo chefe do Windows Panos Panay, é de trazer a Steam e outras plataformas, em especial de jogos, para a nova loja virtual. Ainda não dá para saber em que pé isso está, afinal o principal mercado da Steam são justamente os games, que poderão ser taxados se utilizarem o sistema de pagamento da Microsoft.

O compromisso da Microsoft é de entregar uma espécie de loja única, na qual tudo que você quiser estará disponível, ainda que seja apenas um link de direcionamento. O cenário ideal, obviamente, seria livrar as pessoas do download de dezenas de lojas virtuais para conseguir desfrutar do seu game favorito ou baixar aquele aplicativo usado no seu cotidiano, mas não deixa de ser um grande avanço ter tudo acessível de forma mais simples.

A Amazon Appstore já pode ser vista, mas ainda não pode ser baixada na loja do Windows 11 (Imagem: Igor Almenara/Canaltech)
A Amazon Appstore já pode ser vista, mas ainda não pode ser baixada na loja do Windows 11 (Imagem: Igor Almenara/Canaltech)

No caso da Amazon, ao menos, a loja deve ser 100% integrada, conforme anunciado no evento de lançamento do novo sistema operacional. Com o suporte a aplicações do Android, a Amazon Appstore oferecerá uma gama de soluções para quem deseja rodar os apps móveis diretos no Windows.

A evolução do suporte a programas na Microsoft Store é notável desde o anúncio inicial: além da line-up, que teve o TikTok e a Amazon como destaque, a loja deve contar com aplicativos populares listados, como Discord, Zoom, VLC, TeamViewer, Visual Studio Code, Reddit, Wikipedia e Tumblr. Os navegadores também podem marcar presença na loja do Windows, com destaque para o Opera e o Yandex Browser, que podem tirar vantagens das novas políticas da Microsoft.

O Windows 11 será lançado oficialmente no dia 5 de outubro de 2021 e exigirá suporte das máquinas a TPM 2.0 e Secure Boot, se o usuário quiser manter seu sistema atualizado.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos