Mercado fechará em 5 h 8 min
  • BOVESPA

    110.389,59
    -1.150,20 (-1,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.771,66
    +89,47 (+0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,87
    +1,12 (+1,87%)
     
  • OURO

    1.709,00
    -24,60 (-1,42%)
     
  • BTC-USD

    50.756,95
    +1.878,83 (+3,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.013,95
    +25,85 (+2,62%)
     
  • S&P500

    3.862,74
    -7,55 (-0,20%)
     
  • DOW JONES

    31.473,65
    +82,13 (+0,26%)
     
  • FTSE

    6.640,07
    +26,32 (+0,40%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.559,10
    +150,93 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    12.976,25
    -79,00 (-0,61%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9185
    +0,0564 (+0,82%)
     

Microsoft se aproxima de Pinterest e pode comprar rede social, diz jornal

Rui Maciel
·2 minuto de leitura

A Microsoft estaria conversando com o Pinterest nos últimos meses a respeito de uma possível compra da rede social, em uma operação avaliada em US$ 51 bilhões. As informações são do jornal Financial Times, citando fontes envolvidas nas negociações.

A abordagem surge em um momento em que as interações digitais subiram exponencialmente, principalmente nas redes sociais, devido à pandemia da COVID-19, que criou o distanciamento social entre boa parte da população.

E isso beneficiou plataformas como o Pinterest, que registrou um aumento de 37% em seu número de usuários ativos mensais, pulando para 459 milhões de adeptos no quarto trimestre de 2020. A empresa disse que atingiu recorde de 100 milhões de usuários ativos mensais em 2020.

Além disso, desde o início da pandemia, a rede social viu seu valor de mercado aumentar em sete vezes. Com isso, o valuation da companhia está estimado em US$ 51 bilhões. Com a divulgação de supostas negociações com a Microsoft, as ações do Pinterest subiram mais de 7% nas negociações após o expediente.

Mesmo com a valorização, a matéria do Financial Times afirma que o Pinterest já sinalizou que deseja permanencer como uma empresa independente. Atualmente, seu principal gerador de receitas vem através da inserção de anúncios ao lado dos PINs ou das postagens, que são implementados na rede social pelos próprios usuários.

Investimento em redes sociais

Caso o negócio se concretize pelo valor divulgado - as conversas não estavam ativas no momento, de acordo com o jornal - essa seria a maior aquisição já feita pela Microsoft. A empresa está de olho no mercado de redes sociais, para potencializar novos modelos de receitas para sua divisão de serviços na nuvem - a Azure.

No ano passado, a gigante de Redmond esteve próxima de comprar o TikTok nos Estados Unidos, após Donald Trump ameaçar banir do país a rede social chinesa de vídeos curtos. No entanto, a oferta da Microsoft foi vencida pela dupla Oracle / Walmart.

Atualmente, a Microsoft é controladora da rede social corporativa LinkedIn e a plataforma de hospedagem de código-fonte Github. Além disso, uma eventual compra do Pinterest também testaria a disposição do recém-empossado governo Biden em permitir operações de aquisição entre duas empresas gigantes de Tecnologia.

Procuradas, Microsoft e Pinterest não comentaram.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: