Mercado fechará em 30 mins
  • BOVESPA

    121.798,65
    +1.092,74 (+0,91%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.198,00
    +368,69 (+0,76%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,40
    +1,58 (+2,48%)
     
  • OURO

    1.843,00
    +19,00 (+1,04%)
     
  • BTC-USD

    50.219,08
    +1.269,16 (+2,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.404,54
    +45,98 (+3,38%)
     
  • S&P500

    4.178,31
    +65,81 (+1,60%)
     
  • DOW JONES

    34.417,74
    +396,29 (+1,16%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.400,50
    +300,25 (+2,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4001
    -0,0124 (-0,19%)
     

Microsoft reduz para 12% taxa cobrada por venda de jogos publicados na sua loja

Wagner Wakka
·2 minuto de leitura

A Microsoft segue a linha da Epic Games e vai reduzir a fatia que cobra de desenvolvedores para publicar jogos na Microsoft Store. Atualmente, a empresa fica com 30% do faturamento de um estúdio que vende títulos em sua plataforma, mas, com a redução, a taxa cairá para 12%.

A informação vem de uma publicação oficial do chefe do Xbox Game Studios Matt Booty. “Como parte do nosso compromisso de capacitar todos os criadores de jogos para PC a realizarem mais, a partir de 1º de agosto, a participação deles na receita líquida de vendas de jogos da Microsoft Store aumentará de 70% para 88%”, explica o executivo.

Essa é uma discussão já antiga na indústria dos games e começou com a Epic, em dezembro de 2018, quando ela lançou sua própria loja. Na época, a empresa foi clara em dizer que jogos publicados com ela teriam uma taxa de somente 12% nas vendas.

<em>Epic destina 88% do lucro a empresas que usam a UE4 (Foto: Divulgação/Epic Games)</em>
Epic destina 88% do lucro a empresas que usam a UE4 (Foto: Divulgação/Epic Games)

Por exemplo, no Steam, a Valve fica com 30% do valor arrecadado. A discussão também está acalorada com o processo que Apple e Epic disputam sobre essa questão, o que retirou Fortnite da loja do iOS. A Maçã defende seu direito de cobrar os 30% dos desenvolvedores que publicam jogos com ela, enquanto a Epic considera o montante abusivo.

Com a entrada a Microsoft no jogo, é possível que mais desenvolvedores comecem a optar pelo lançamento na loja do Xbox e da Epic do que pelo Steam, hoje a principal plataforma para distribuição digital de jogos.

Contra a política da Epic, a Valve chegou a anunciar mudanças também na forma de cobrar tal fatia de desenvolvedores conforme a receita. O título que render menos de US$ 10 milhões arrecadados ainda precisa pagar os 30% para Valve. Acima disso, tal número cai para 25% até US$ 50 milhões e 20% após os US$ 50 milhões em receita.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: