Mercado abrirá em 2 h 9 min

Microsoft | Harry Shum, executivo de inteligência artificial, deixa a empresa

Felipe Ribeiro

A Microsoft está perdendo um importante executivo. Segundo apuraram o ZDNet e o Business Insider, Harry Shum, que dirige o grupo de pesquisa e inteligência artificial da Microsoft, vai embora em fevereiro, após 23 anos na Microsoft. Ele foi um dos que ajudou a gigante de Redmond a transformar a pesquisa em inteligência artificial em produtos, fazendo com que essa área na empresa decolasse.

A partida de Shum ocorre no momento em que a Microsoft está fazendo grandes investimentos em IA. O executivo foi fundamental para os esforços da empresa em pesquisa acadêmica dentro da subsidiária, a Microsoft Research, para transformar essas ideias e resultados das pesquisas em produtos reais que a Microsoft pode vender. O grupo de IA e Pesquisa que ele lidera foi criado explicitamente para esse fim - e agora a Microsoft terá que embarcar nesse objetivo sem ele. A inteligência articicial é uma das tecnologias que o CEO da Microsoft, Satya Nadella, disse que desempenhará um papel fundamental no futuro da empresa e que será essencial para conquistar mais clientes para seus importantes negócios na nuvem.

Shum não revelou seu próximo passo, mas um porta-voz da Microsoft disse que continuará aconselhando Nadella e o co-fundador da Microsoft, Bill Gates, depois que ele partir. "Harry teve um profundo impacto na Microsoft", disse Nadella em comunicado. "Suas contribuições nos campos da ciência da computação e da IA ​​deixam um legado e uma base sólida para a inovação futura", concluiu.

Legado

Harry Shum iniciou sua trajetória na Microsoft justamente na divisão Research, em 1996, como pesquisador. Ele se mudou para Pequim em 1998 para ajudar a iniciar o que hoje é a Microsoft Research Asia e trabalhou como diretor e engenheiro. Mais tarde, ele liderou o desenvolvimento de produtos no mecanismo de pesquisa do Bing de 2007 a 2013.

Harry Schum e Bill Gates, em 2016/ Imagem: Microsoft

A Microsoft formou o grupo de IA e Pesquisa em setembro de 2016, combinando várias equipes, incluindo Bing, o assistente virtual da Cortana e seus esforços de robótica. A ideia era colocar uma ênfase maior em transformar a pesquisa em IA em produtos, com Shum no comando.

A Microsoft investiu ainda mais nisso no ano passado, quando criou novos grupos dedicados a produtos de IA seguindo as orientações da Shum, como os Serviços e Plataformas Cognitivos de IA, focados em IA para os negócios em nuvem do Azure e o grupo de Percepção e Realidade Mista da IA, que ajuda a aliar o Azure à tecnologia de realidade aumentada, como os óculos HoloLens 2 da Microsoft.

Um resultado foi a plataforma AI do Azure, ajudando os desenvolvedores a usar a tecnologia de inteligência artificial da Microsoft em seus próprios aplicativos de computação em nuvem. A plataforma agora tem 20.000 clientes e mais de 85% das empresas da Fortune 100 usaram o Azure AI nos últimos 12 meses, segundo a empresa.

Quem substitui Shum?

O substituto de Schum será Kevin Scott, diretor de tecnologia da Microsoft desde 2017. O novo executivo veio do LinkedIn, onde havia sido vice-presidente sênior de engenharia e operações.

Kevin Scott vai comandar o departamento de pesquisa e IA da Microsoft/ Imagem: Microsoft

Na qualidade de CTO, Scott trabalhou em grande parte como futurista, ajudando a empresa a explorar as tendências do setor e a identificar novas oportunidades. A pesquisa e o desenvolvimento estavam anteriormente fora de seu alcance, mas Scott trabalhou nos esforços de inteligência artificial da empresa, recrutando a liderança em engenharia e realizando eventos como o AI 365, um fórum para discutir inteligência artificial.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: