Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    35.629,87
    -2.380,86 (-6,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.103,00
    -62,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

Microsoft diz que investigou envolvimento de Gates com funcionária

·2 minuto de leitura
.

Por Supantha Mukherjee

(Reuters) - A Microsoft conduziu uma investigação sobre o envolvimento do cofundador Bill Gates com uma funcionária há quase 20 anos, após a informação, em 2019, de que ele havia tentado iniciar um relacionamento romântico com a pessoa, disse a empresa nesta segunda-feira.

A Microsoft afirmou ter recebido no fim de 2019 a informação de que Gates "havia tentado iniciar um relacionamento íntimo com uma funcionária da empresa no ano 2000", disse um porta-voz da empresa em comunicado.

"Um comitê do Conselho analisou a questão, auxiliado por um escritório de advocacia externo, para conduzir uma investigação completa. Durante a investigação, a Microsoft forneceu amplo suporte à pessoa que levantou a questão", disse o comunicado.

O Wall Street Journal reportou no último domingo que o conselho da Microsoft decidiu que o envolvimento de Gates com a funcionária era inapropriado, e ele precisava se demitir em 2020, citando pessoas familiarizadas com o assunto.

O porta-voz da Microsoft não quis comentar se o conselho decidiu o que Gates deveria fazer.

Em uma declaração ao Wall Street Journal, um porta-voz de Gates afirmou que sua decisão de deixar o conselho da Microsoft não tinha nada a ver com seu envolvimento com a funcionária.

"Houve um caso, há quase 20 anos, que terminou amigavelmente. A decisão de Bill de fazer a transição para fora do conselho não estava de forma alguma relacionada a este assunto", disse a declaração. "Na verdade, ele havia manifestado interesse em dedicar mais tempo à sua filantropia, que começou vários anos antes."

Um porta-voz da Fundação Gates disse à Reuters que está de acordo com a declaração ao jornal.

O bilionário, que foi cofundador da Microsoft em 1975 e foi seu presidente até 2000, disse em março de 2020 que estava deixando o conselho para se focar mais na filantropia.

Gates e sua esposa Melinda pediram o divórcio no início deste mês, após 27 anos de casamento.

((Tradução Redação São Paulo; +55 11 56447764))

REUTERS IL AAP

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos