Mercado fechará em 5 h 44 min
  • BOVESPA

    108.020,61
    +1.548,69 (+1,45%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.198,72
    +475,29 (+1,02%)
     
  • PETROLEO CRU

    89,32
    +0,31 (+0,35%)
     
  • OURO

    1.799,90
    +8,70 (+0,49%)
     
  • BTC-USD

    24.130,58
    +976,89 (+4,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    563,46
    +20,58 (+3,79%)
     
  • S&P500

    4.178,61
    +33,42 (+0,81%)
     
  • DOW JONES

    33.057,95
    +254,48 (+0,78%)
     
  • FTSE

    7.504,45
    +64,71 (+0,87%)
     
  • HANG SENG

    20.045,77
    -156,17 (-0,77%)
     
  • NIKKEI

    28.249,24
    +73,37 (+0,26%)
     
  • NASDAQ

    13.388,50
    +159,75 (+1,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2272
    -0,0394 (-0,75%)
     

Microsoft decide paralisar contratações nos EUA; saiba motivo

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Empresa tem investido cada vez menos em contratações (Getty Image)
Empresa tem investido cada vez menos em contratações (Getty Image)
  • Microsoft deve empregar cada vez menos pessoas nos próximos meses;

  • Empresa segue a tendência adotada pelo setor da tecnologia;

  • Corporações temem possível crise econômica nos Estados Unidos.

Apesar dos grandes investimentos, a Microsoft aderiu à tendência do mercado norte-americano e decidiu diminuir o número de vagas de emprego ofertadas.

Informações da Bloomberg apontam que a a movimentação da companhia de Redmond tem como plano de fundo uma possível recessão nos EUA, motivada pela inflação alta e aumentos dos juros do Federal Reserve (Banco Central).

Uma das evidências da preocupação da companhia foi um corte de funcionários na divisão do Azure. as demissões impactaram desde o setor de software até o pessoal que cuida da segurança dos produtos.

Como prova disso vem a queda das ações da Microsoft, que já caíram em média de US$ 337 por ação (mais de $R 1.800), de acordo com dados da Markets Insider.

Procurada pelo site de notícias, a empresa não quis se pronunciar sobre os cortes. No entanto, admitiu que essa é uma linha já esperada no mercado da tecnologia.

"A medida busca garantir que os recursos certos estejam alinhados à oportunidade certa [...] Continuaremos a aumentar o número de funcionários no próximo ano", disse a corporação em um comunidade.

Essa não é a única empresa que vem diminuindo o número de contratações para manter a estabilidade financeira. Grandes corporações, como Google E Apple, também estão adotando uma postura mais rígida, temendo mudanças no mercado.

Conforme dados do Bureau of Labor Statistics (BLS), dos Estados Unidos, o número de vagas de emprego que estava em alta, de 11,5 milhões no final de março.

No mercado, a única corporação que tem seguido o ritmo contrário, aumentando as contratações, é a Amazon, que não para de investir em equipe e expansão ao redor do mundo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos