Mercado abrirá em 2 h 7 min

Microsoft cancela Build 2020 por causa do coronavírus

Felipe Demartini

A Microsoft anunciou nesta sexta-feira (13) o cancelamento da Build 2020. O evento voltado para desenvolvedores e que costuma trazer novidades sobre o Windows, Office e demais produtos e serviços da companhia aconteceria de 19 a 21 de maio na cidade de Seattle, mas sua versão física está sendo suspensa por conta do risco de contaminação pelo novo coronavírus.

O comunicado da empresa sobre o assunto é curto e traz poucos detalhes, afirmando apenas que ela está seguindo as recomendações do estado de Washington e, por isso, decidiu não realizar o evento presencial neste ano. Uma nova data, ou a manutenção do calendário em maio, entretanto, não foram revelados, com a Microsoft afirmando apenas que mais detalhes sobre o novo formato da Build devem ser divulgados em breve.

Uma das principais expectativas para o evento é o foco em dispositivos de duas telas da linha Surface. A revelação vem desde o ano passado, com direito a um smartphone, o Duo, rodando Android, e o tablet Neo, que funciona com Windows 10X. Depois de um alerta a desenvolvedores para que testem seus apps no novo formato, a ideia era que a Build serviria de palco para mostrar as inovações nesse sentido.

Entretanto, ninguém contava com a ameaça do novo coronavírus, que está gerando o cancelamento de praticamente todos os eventos voltados ao público ao redor do mundo. Google e Facebook também suspenderam suas conferências com desenvolvedores, que também aconteceriam em maio, enquanto, no Brasil, o Festival de Teatro de Curitiba, em abril, não vai mais acontecer, e Distrito Federal suspendeu as aulas e eventos públicos ao longo da próxima semana.

O próprio cancelamento da Build já era aguardado desde o início da semana, não apenas pela sequência de eventos sendo suspensos ou pela atualização do site oficial da conferência, que recebeu um alerta no qual a Microsoft diz estar avaliando opções e acompanhando a situação de saúde pública de perto, mas também pelo fato de a companhia ter recomendado o home office a todos os seus funcionários na cidade de Seattle. As recomendações do estado de Washington, onde fica o município, apenas fortaleceu essa ideia, agora confirmada oficialmente.

O estado de Washington é um dos mais afetados pelo novo coronavírus nos EUA, já contabilizando 457 casos confirmados e 31 mortos. Em resposta à situação, o governo suspendeu aulas e pediu às empresas que deem licenças aos funcionários ou adotem sistemas de home office, além de recomendar o cancelamento de shows, palestras e outros eventos de grande aglomeração.

O caminho da conferência digital também foi aditado por outros eventos importantes do calendário de tecnologia, como a GDC, voltada para o desenvolvimento de jogos, e a E3, a maior feira de games do mundo. Em ambos os casos, palestras, anúncios e conferências serão transmitidas pela internet, de forma a entregar o conteúdo e manter o calendário de revelações sem colocar a saúde pública em risco.

Segundo os dados mais recentes da Organização Mundial de Saúde, o novo coronavírus tem 135,3 mil casos confirmados em todo o mundo, com 4,9 mil mortos. No Brasil, são mais de 100 casos confirmados entre confirmações oficiais do Ministério da Saúde e listas divulgadas por hospitais.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: