Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.452,93
    -37,45 (-0,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Microsoft anuncia plataforma que leva o metaverso para dentro do Teams

·2 min de leitura

Era óbvio que o Facebook não surfaria a onda do Metaverso sozinho entre as Big Techs. Hoje (2) durante o evento Ignite, a Microsoft deu melhores contornos ao Mesh, sua plataforma de comunicação virtual recheada de elementos de realidade virtual e aumentada que será integrada ao Teams no primeiro semestre de 2022.

Usuários do Microsoft Mesh terão seus próprios avatares 3D para entrar nesse ambiente virtual — e nem precisarão utilizar um kit de óculos e controles de RV para se expressar. A ideia aqui é evitar a fadiga em reuniões online que duram muitas horas com essa camada extra de personalização e dinamismo.

“Não é binário, então posso escolher como quero aparecer, se é um vídeo ou um avatar e há uma variedade de opções personalizadas para escolher como você deseja estar presente em uma reunião”, disse a gerente de produto do Microsoft Mesh, Katie Kelly, em entrevista para o The Verge.

As animações se expressam conforme a voz do usuário, através da captação do microfone e interpretação por inteligência artificial. Dentro do ambiente em realidade virtual, as animações também incluirão gestos com o corpo, como levantar as mãos para falar ou expressões no estilo de emojis.

Integração com o Teams levará avatares 3D para reuniões (Imagem: Reprodução/Microsoft)
Integração com o Teams levará avatares 3D para reuniões (Imagem: Reprodução/Microsoft)

A primeira vez que a plataforma de realidade mista apareceu foi em março deste ano, mas ainda parecia bem rudimentar. Na ocasião, foi explicado que o Mesh utiliza a infraestrutura de nuvem Azure, da Microsoft, e é compatível com o HoloLens 2 e headsets de realidade virtual.

Mais dinamismo para reuniões e encontros casuais

Apesar de compatíveis com visualizações normais em reuniões (e até uma alternativa interessante para dias não muito favoráveis para aparecer na webcam), é com óculos de realidade virtual que as funções do Microsoft Mesh brilham de verdade. Nela, as reuniões são quase como as reais, com senso de "presença" e menor chance de causar a conhecida "fadiga do Zoom".

Empresas podem montar seus próprios ambientes virtuais (Imagem: Reprodução/Microsoft)
Empresas podem montar seus próprios ambientes virtuais (Imagem: Reprodução/Microsoft)

"Acho que o que realmente separa a abordagem da Microsoft no metaverso e nossas próprias experiências é começar com a experiência humana, então a sensação de presença, falar com alguém, fazer contato visual e as reações serão importantes”, explicou Kelly.

Dentro do Mesh, empresas poderão criar seus próprios espaços virtuais, o que pode colaborar com a criação de experiências únicas. É neste cenário que a Microsoft quer que seus usuários interajam, socializem e se divirtam nos intervalos do expediente ou durante conversas livres.

O metaverso da Microsoft ainda não tem data específica de lançamento, mas mais informações devem ser divulgadas pela companhia ao longo dos próximos meses.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos