Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.264,96
    +859,61 (+0,67%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.315,69
    -3,88 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,42
    -0,24 (-0,33%)
     
  • OURO

    1.785,00
    +2,10 (+0,12%)
     
  • BTC-USD

    31.454,38
    -4.292,65 (-12,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    762,93
    -87,41 (-10,28%)
     
  • S&P500

    4.224,79
    +58,34 (+1,40%)
     
  • DOW JONES

    33.876,97
    +586,89 (+1,76%)
     
  • FTSE

    7.062,29
    +44,82 (+0,64%)
     
  • HANG SENG

    28.489,00
    -312,27 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.010,93
    -953,15 (-3,29%)
     
  • NASDAQ

    14.132,75
    +2,75 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9821
    -0,0540 (-0,89%)
     

Microsoft anuncia o adeus final ao Internet Explorer

·2 minuto de leitura

O Internet Explorer, histórico navegador da Microsoft, será finalmente aposentado no ano que vem após mais de 26 anos de serviço, comunicou a gigante da tecnologia.

O veterano navegador da web foi lançado com o Windows 95.

Ele não aparecerá mais nas versões de consumidor do Windows 10 após junho de 2022, escreveu a Microsoft em um blog da empresa.

A companhia vem desativando o antigo navegador há vários anos - mas em 2019 teve que lançar uma versão de emergência, por razões de segurança.

Naquela época, estimava-se que cerca de 8% das pessoas ainda o usavam.

Seu substituto, o Microsoft Edge, tem um modo de compatibilidade do Internet Explorer, que continuará a funcionar.

'Mais rápido, mais seguro'

Alguns sites antigos - e principalmente, ferramentas internas de web de empresas - foram construídos em tecnologia da internet mais antiga, que os navegadores modernos têm problemas para processar.

Em um blog da empresa, o gerente de programa do Microsoft Edge, Sean Lyndersay, escreveu que o navegador mais recente era "uma experiência de navegação mais rápida, segura e moderna", e agora ele é mais capaz de lidar com aplicativos mais antigos.

Em uma postagem separada que trata de perguntas, a Microsoft esclareceu que haveria algumas exceções à aposentadoria, inclusive em versões mais antigas do Windows.

Entre 2000 e 2005, o Internet Explorer teve uma participação de mercado de 90% (o Google Chrome é o navegador mais usado atualmente). Mas em 2013 a Microsoft foi multada em € 561 milhões por não promover navegadores alternativos dentro de seu sistema operacional Windows.

O sistema introduziu um pop-up de "escolha do navegador" em 2010, mas o recurso foi desativado em uma atualização no ano seguinte. A Microsoft disse que houve um engano.

Nova fonte

A gigante da tecnologia também está mexendo com outro pedaço de sua história: em abril deste ano, ela anunciou que planeja mudar sua fonte padrão, Calibri, em todos os seus produtos. Ela era a principal desde 2007.

A empresa está convidando os usuários a votar em uma fonte favorita entre cinco concorrentes, e diz que a mais bem votada estará em seu novo visual.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos