Mercado abrirá em 5 h 56 min
  • BOVESPA

    129.264,96
    +859,61 (+0,67%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.315,69
    -3,88 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,66
    0,00 (0,00%)
     
  • OURO

    1.784,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    32.842,00
    -73,62 (-0,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    790,01
    -60,34 (-7,10%)
     
  • S&P500

    4.224,79
    +58,34 (+1,40%)
     
  • DOW JONES

    33.876,97
    +586,89 (+1,76%)
     
  • FTSE

    7.062,29
    +44,82 (+0,64%)
     
  • HANG SENG

    28.428,94
    -60,06 (-0,21%)
     
  • NIKKEI

    28.884,13
    +873,20 (+3,12%)
     
  • NASDAQ

    14.130,00
    0,00 (0,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9719
    -0,0034 (-0,06%)
     

Microsoft, Accenture e Goldman se unem para software mais verde

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Microsoft, Accenture e Goldman Sachs fizeram uma parceria com organizações sem fins lucrativos como a Linux Foundation e grupos climáticos para desenvolver e compartilhar maneiras de desenvolver software que produza menos emissões de carbono quando executado em data centers, redes de computadores de alta potência que consomem muita energia.

A Green Software Foundation, cujos fundadores também incluem o GitHub, da Microsoft, e a consultoria de software ThoughtWorks, planeja desenvolver ferramentas e criar padrões para medir o impacto climático do software, além de oferecer treinamento para engenheiros de software que desejam aprender como criar programas que consomem menos energia. Os data centers agora respondem por cerca de 1% da demanda global por eletricidade, com previsão de aumento para 3% a 8% na próxima década, disseram as empresas em comunicado na terça-feira.

Aplicativos de software cada vez mais complexos e com processamento intensivo exigem mais potência de computação e eletricidade, levando a demandas por maior conscientização sobre a pegada de carbono. Empresas de computação em nuvem como Microsoft, Amazon.com e Alphabet, que controla o Google, anunciaram planos para reduzir as emissões de data centers, e muitas companhias divulgaram metas para se tornarem neutras em carbono. Para chegar lá, desenvolvedores de software terão que incorporar uma nova habilidade - engenharia de software verde -, da mesma forma que receberam treinamento anterior para prevenir falhas de segurança de seu código.

“O objetivo é construir aplicativos que descrevemos como eficientes em termos de carbono”, disse em entrevista Asim Hussain, principal promotor de desenvolvedores de nuvem da Microsoft que atuará como diretor executivo da fundação. “Para compreender como fazer isso, precisamos entender um conjunto de habilidades que não são ensinadas em ambientes tradicionais.”

Embora seja difícil determinar exatamente quanto carbono é emitido por programas de software individuais, grupos como a Green Software Foundation examinam métricas como o volume de eletricidade necessário, se os microprocessadores estão sendo usados com eficiência e o carbono emitido nas redes.

A fundação planeja examinar programas de estudos e desenvolver certificações que dariam aos engenheiros experiência neste campo. Assim como em áreas como ciência de dados e cibersegurança, haverá uma oportunidade para engenheiros se especializarem em desenvolvimento de software verde, mas todos que criam software precisarão de pelo menos alguma experiência nisso, disse Jeff Sandquist, vice-presidente de relações com desenvolvedores da Microsoft.

“Isso será responsabilidade de todos na equipe de desenvolvimento, assim como quando olhamos para segurança, desempenho ou confiabilidade”, disse. “Construir o aplicativo de forma sustentável vai fazer diferença.”

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos