Mercado abrirá em 5 h 15 min
  • BOVESPA

    106.927,79
    +1.397,79 (+1,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.744,92
    -185,48 (-0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,36
    +0,54 (+0,64%)
     
  • OURO

    1.818,50
    +2,00 (+0,11%)
     
  • BTC-USD

    42.816,00
    -347,66 (-0,81%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.029,19
    +3,46 (+0,34%)
     
  • S&P500

    4.662,85
    +3,82 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    35.911,81
    -201,79 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.542,95
    -20,90 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    24.194,34
    -188,98 (-0,78%)
     
  • NIKKEI

    28.333,52
    +209,24 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    15.557,00
    -38,75 (-0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3104
    -0,0070 (-0,11%)
     

Microsoft é acusada de usar o Windows para forçar o uso de seus programas

·3 min de leitura

Um grupo de empresas criadoras de software e serviços na nuvem entraram com um processo na Comissão Europeia por suposto comportamento anticompetitivo da Microsoft ao forçar o uso do OneDrive, Teams e outros programas no Windows 10 e Windows 11. Segundo a reclamação, essa atitude vai além de divulgar os próprios serviços, pois a obrigatoriedade faria com que o usuário ficasse sem opção de escolha.

A Coalition for a Level Playing Field é formada por várias empresas e organizações não governamentais sediadas na União Europeia e liberadas pela companhia de hospedagem na nuvem Nextcloud. O CEO e fundador da empresa, Frank Karlitschek, diz que essa prática já foi adotada pela Microsoft no mercado de navegadores, no qual a empresa teria copiado um produto inovador e feito a sua própria solução. "Copie um produto inovador, agrupe-o com seu próprio produto dominante e mate seus negócios, depois pare de inovar", explicou Karlitschek.

As empresas do setor tecnológico europeu reclamam de atitude anticompetitiva da Microsoft (Imagem: Reprodução/NextCloud)
As empresas do setor tecnológico europeu reclamam de atitude anticompetitiva da Microsoft (Imagem: Reprodução/NextCloud)

O caso referenciado pelo líder da coalizão ocorreu na década de 1990, quando a Microsoft passou a oferecer o Internet Explorer integrado ao Windows para competir com o Netscape. O resultado foram anos de domínio da gigante do software no setor, hegemonia que só foi quebrada por outra Big Tech, o Google com a chegada do Chrome.

Monopólio x falta de escolha do usuário

Na ação, os reclamantes dizem que a atitude é ruim para os consumidores e pediu à comissão que imponha sanções que permitam a competição igualitária entre as empresas. O problema estaria no fato de a Microsoft valer-se de sua posição no setor de sistemas operacionais para acabar com os concorrentes no segmento de bate-papo, serviços da nuvem e videoconferência.

“A Microsoft está integrando o 365 cada vez mais profundamente em seu portfólio de serviços e software, incluindo o Windows. O OneDrive é implementado sempre que os usuários lidam com armazenamento de arquivos e o Teams é uma parte padrão do Windows 11. Isso torna quase impossível competir com seus serviços SaaS [Software-as-a-Service] ”, argumenta a nota produzida pelas companhias.

O Teams é 100% integrado ao Windows 11: atalhos, acesso rápido e outros recursos fazem com que o usuário seja direcionado ao uso do app (Imagem: Reprodução/Microsoft)
O Teams é 100% integrado ao Windows 11: atalhos, acesso rápido e outros recursos fazem com que o usuário seja direcionado ao uso do app (Imagem: Reprodução/Microsoft)

A título de exemplo, as companhias argumentam que somente Microsoft, Google e Amazon aumentaram a participação de mercado em 66% na Europa, enquanto as companhias locais tiveram retração de 26% para apenas 16%. Isso seria um demonstrativo de como as pequenas e médias empresas tecnológicas do velho continente tem dificuldade para se manterem vivas, ainda que ofereçam serviços melhores que o das gigantes.

Por enquanto, ainda é cedo para saber como a Comissão Europeia vai decidir acerca do caso. O fato é que a Microsoft, de fato, tem um longo histórico de tentar forçar o uso dos seus serviços pelo usuário, como a tentativa recente de emplacar o Edge e o incentivo ao uso do seu buscador Bing via notícias e previsão do tempo no Windows 10. As autoridades vão decidir se isso é uma prática de mercado válida ou será preciso repensar o Windows para ser mais amigável a terceiros.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos