Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.539,83
    +1.882,18 (+1,91%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.201,81
    +546,36 (+1,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    41,51
    +0,05 (+0,12%)
     
  • OURO

    1.914,00
    -1,40 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    11.943,96
    +886,95 (+8,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    239,54
    +0,62 (+0,26%)
     
  • S&P500

    3.443,12
    +16,20 (+0,47%)
     
  • DOW JONES

    28.308,79
    +113,37 (+0,40%)
     
  • FTSE

    5.889,22
    +4,57 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    24.569,54
    +27,28 (+0,11%)
     
  • NIKKEI

    23.567,04
    -104,09 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    11.708,50
    +47,75 (+0,41%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6264
    0,0000 (0,00%)
     

Michelle Bolsonaro quer processar banda Detonautas por música "Micheque"

Colaboradores Yahoo Notícias
·2 minutos de leitura

A banda Detonautas Roque Clube virou alvo dos assessores da família presidencial. A primeira-dama Michelle Bolsonaro quer processar quem considera seus detratores, incluindo o conjunto de rock, que neste mês lançou a música “Micheque”, em referência à investigação sobre um suposto depósito de R$ 89 mil na conta da mulher do presidente.

“Hey, Miehelle, conta aqui para nós, a grana que entrou na sua conta é do Queiroz?”, diz o trecho da música, que ultrapassou 1,4 milhão de acessos no YouTube após a ameaça de processo pela primeira-dama.

O lyric vídeo (clipe da letra da música) mostra imagens de gado, como é chamado pejorativamente o eleitorado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e laranjas. Segundo a revista Veja, assessores de Michelle veem crime de injúria e difamação.

Leia também:

Em seu Instagram, o vocalista do Detonautas, Tico Santa Cruz, chamou de censura a ameaça de processo de Michelle Bolsonaro.

“Recebi com enorme surpresa a notícia de que Michelle Bolsonaro está estudando processar o Detonautas pela música ‘Micheque’.

É uma tentativa de censura? Cadê a liberdade de expressão para que possamos questionar algo que é de interesse público? O governo Bolsonaro não é contra o ‘mimimi’? Nós não acusamos ninguém de nada, nem sequer usamos o nome deles! Vamos aguardar!”, escreveu o cantor.