Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    61.642,72
    -1.839,02 (-2,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Após críticas, Michelle alega que se vacinou nos EUA porque recebeu oferta de médico americano

·2 minuto de leitura
Foto: John Minchillo/Pool via REUTERS
Foto: John Minchillo/Pool via REUTERS

A primeira-dama do país, Michelle Bolsonaro, explicou na noite desta sexta-feira, em nota, a razão de ter se vacinado nos Estados Unidos. Michelle contou que, ao se submeter ao teste PCR, necessário para o embarque de retorno e que detecta se a pessoa está infectada ou não pelo vírus, o médico americano que a atendeu perguntou se ela não gostaria de aproveitar e se vacinar. Na nota, a primeira-dama tenta desfazer a surpresa de ter optado por ser imunizada fora do Brasil e elogiou o sistema de saúde brasileiro.

"Como já pensava em receber o imunizante, resolveu aceitar. A primeira-dama reitera a sua admiração e respeito ao sistema de saúde brasileiro, em especial, aos profissionais da área que se dedicam, incansavelmente, ao cuidado da saúde do povo" - informou a nota da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom). 

Leia também:

A informação de que Michelle tomou a vacina no momento do exame diverge da informação prestada por Bolsonaro, na live da noite de quinta-feira. O presidente contou que, antes de decidir tomar a vacina, a primeira-dama o consultou, dado que não consta na nota. 

— Olha o que aconteceu com a minha esposa. Me perguntou se 'tomo ou não a vacina?'. Veio conversar comigo. Sabe como é que é esposa, sabe como é. Tomo ou não? Dei minha opinião. Vou dizer o que ela fez: tomou a vacina. É maior de idade, tem 39 anos. Tomou a vacina. Se for para vacinar a Laura (filha caçula), de 10 anos, vamos decidir — disse o presidente. 

Segundo a nota divulgada pela Secom, Michele viajou a Nova York para acompanhar Jair Bolsonaro nas agendas oficiais e também para cumprir uma agenda sobre doenças raras, causa que tem a sua adesão, na Missão do Brasil na Organização das Nações Unidas (ONU).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos