Mercado abrirá em 3 h 5 min
  • BOVESPA

    110.611,58
    -4.590,65 (-3,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.075,41
    +732,87 (+1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,43
    +0,38 (+0,58%)
     
  • OURO

    1.700,60
    +22,60 (+1,35%)
     
  • BTC-USD

    54.150,71
    +4.376,85 (+8,79%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.092,42
    +68,21 (+6,66%)
     
  • S&P500

    3.821,35
    -20,59 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    31.802,44
    +306,14 (+0,97%)
     
  • FTSE

    6.742,96
    +23,83 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    28.773,23
    +232,40 (+0,81%)
     
  • NIKKEI

    29.027,94
    +284,69 (+0,99%)
     
  • NASDAQ

    12.566,50
    +269,25 (+2,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9831
    +0,0233 (+0,33%)
     

Michel Bastos é alvo de racismo em supermercado de SP

·2 minuto de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - MAY 11: Michel Bastos of Sao Paulo celebrates scoring the goal during quarterfinal first leg match of Copa Bridgestone Libertadores between Sao Paulo and Atletico MG at Morumbi Stadium on May 11, 2016 in Sao Paulo, Brazil. (Photo by Friedemann Vogel/Getty Images)

O ex-jogador Michel Bastos, que passou por São Paulo, Palmeiras e Seleção Brasileira, postou um vídeo nesta segunda (22) afirmando ter sido vítima de racismo por parte de funcionário de um supermercado em São Paulo.

No vídeo, Michel conta que ao chegar no caixa para pagar as compras feitas em uma das unidades da rede St. Marchê, ele foi questionado pela atendente se era motorista do Rappi, aplicativo de entrega. Segundo o ex-atleta não foi a primeira vez que isso aconteceu no mesmo supermercado.

Leia também:

Michel chegou a falar que esperou para ver a abordagem para um senhor que estava atrás dele. E a funcionária perguntou diretamente se a pessoa era um cliente do programa de fidelidade do supermercado, diferentemente do que aconteceu com ele.

Michel Bastos tem 37 anos anos e deixou aos gramados em 2019 após atuar em um jogo pelo América Mineiro. Revelado pelo Pelotas, ele se destacou pelo Figueirense em 2005 e teve os melhores momentos da sua carreira entre 2009 e 2013, quando atuava pelo Lyon, da França, chegando a ser convocado para a Seleção Brasileira.

Após a publicação da matéria, a assessoria da rede St. Marchê entrou em contato com a reportagem dizendo que repudia qualquer tipo de discriminação e que o CEO da rede pediu desculpas ao ex-jogador. 

Confira o comunicado na íntegra:

O St Marche é uma rede de supermercados de bairro com 20 lojas na Capital e Grande São Paulo. Viemos, por meio desta nota, manifestar o nosso repúdio ao comportamento inadequado que ocorreu em nossa loja em Alphaville, no último domingo (21).

O Grupo cumpre uma série de requisitos em seu Código de Conduta e política de Não Discriminação (www.contatoseguro.com.br/grupostmarche), sendo uma marca com selo GPTW (great place to work), onde o quesito Diversidade teve a nota máxima nesta pesquisa . Isso reflete a nossa cultura e valores deque todos devem ser tratados com respeito e igualdade.. E, cada vez mais, estamos engajados em melhorar nossas politicas e aplicar treinamentos de conscientização junto aos nossos colaboradores e parceiros para que situações como essa não ocorram mais.

Lamentamos o ocorrido e, no mesmo dia, o CEO da Rede, Bernardo Ouro Preto, entrou em contato, pessoalmente, com Michel Bastos para pedir desculpas pela ocorrência pontual na unidade de Alphaville.

Mais uma vez nós repudiamos qualquer forma de discriminação. Esse triste episódio não representa os valores e princípios do St Marche. Nós já estamos reforçando nossos treinamentos, em especial nesta loja. Não vamos admitir nenhuma forma de desrespeito seja com cliente, colaboradores ou parceiros.