Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,23 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,34 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +0,19 (+0,29%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    50.051,61
    +1.490,94 (+3,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,20 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,51 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    -11,25 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7806
    -0,0053 (-0,08%)
     

Mi 11 Lite terá Snapdragon 732G e tela LCD poderosa, revela certificação

Redação
·3 minuto de leitura

O órgão regulador indiano Bureau of Indian Standards (BIS) avaliou e certificou o que seria o Xiaomi Mi 11 Lite. O topo de linha recém lançado internacionalmente pela fabricante chinesa poderia não só ter variantes aprimoradas, como também uma versão econômica, com processador focado em jogos e cortes em outros recursos para competir com produtos mais baratos.

Sob o número de série M2101K9AG, o Mi 11 Lite está sendo encaminhado para órgãos reguladores internacionais para um lançamento em maior escala. A avaliação liberada pelo órgão indiano revela um dispositivo equipado com o chipset Qualcomm Snapdragon 732G, somado a 6 GB de RAM e variações de armazenamento indo de 64 a 128 GB. Por fora, a certificação o descreve com uma tela IPS LCD com taxa de atualização de 120 Hz e bateria de 4150 mAh com suporte a carregamento rápido de 33 W.

(Imagem: Reprodução/MyDrivers)
(Imagem: Reprodução/MyDrivers)

Mi 11 Lite: um Poco X3 recauchutado?

Coincidentemente, os documentos divulgados pelo BIS se referem ao mesmo dispositivo avaliado pela FCC, órgão dos Estados Unidos semelhante à Anatel. Facilmente, dá para relacionar o Mi 11 Lite com o Poco X3, outro modelo da companhia sob título de uma das suas subsidiárias. Ambos compartilham de mesmo chipset, tela, armazenamento e memória de trabalho.

Infelizmente, essas características os deixam extremamente semelhantes e indicam que poderiam competir um com o outro com preços próximos. As diferenças, por sua vez, poderiam estar concentradas nos materiais da construção, qualidade dos sensores de câmera e outros recursos herdados do topo de linha.

No Poco X3, além do design característico que carrega o nome da marca em sua traseira, o módulo que abriga as câmeras foge do padrão adotado na linha Mi 11. Os sensores podem até ser os mesmos na versão Lite do flagship da Xiaomi, mas é provável que sejam reunidos numa seção retangular no canto superior esquerdo.

Poco X3 (à direita) tem corpo construído em plástico, módulo de câmeras centralizado e nome da companhia estampados na traseira. (Imagem: Reprodução/The Pixel)
Poco X3 (à direita) tem corpo construído em plástico, módulo de câmeras centralizado e nome da companhia estampados na traseira. (Imagem: Reprodução/The Pixel)

O Mi 11 Lite deve chegar na China batizado de Mi 11 Youth Edition, como uma edição voltada para “o público jovem”, numa mesma pegada mais descolada e acessível que a adotada pela Samsung no Galaxy 20 FE. Não seria uma surpresa também se o dispositivo fosse apresentado em várias opções de cores e estilos, elemento normalmente valorizado em edições mais baratas.

A estratégia provavelmente se repetirá: o Mi 11 Lite deve aparecer primeiro nas prateleiras chinesas e logo ser apresentado para o mundo numa versão global. A certificação de órgãos internacionais indica que o intervalo entre os lançamentos será pequeno, e talvez seja acompanhado pela apresentação da variante aprimorada, o Mi 11 Pro.

Por se tratar apenas de uma certificação, não há uma previsão para a chegada do aparelho. A companhia pode aproveitar as movimentações do Ano Novo Chinês para apresentar a dupla como alternativas ao seu atual topo de linha. Para o restante do mundo e o Brasil, a novidade ainda deve demorar algumas semanas ou meses para chegar.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: