Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.170,89
    +1.128,41 (+1,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.273,29
    +368,23 (+0,88%)
     
  • PETROLEO CRU

    42,90
    +0,48 (+1,13%)
     
  • OURO

    1.835,60
    -36,80 (-1,97%)
     
  • BTC-USD

    18.298,30
    -156,44 (-0,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    361,65
    +0,23 (+0,06%)
     
  • S&P500

    3.568,06
    +10,52 (+0,30%)
     
  • DOW JONES

    29.505,54
    +242,06 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.333,84
    -17,61 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    26.486,20
    +34,66 (+0,13%)
     
  • NIKKEI

    25.527,37
    -106,93 (-0,42%)
     
  • NASDAQ

    11.885,50
    -20,25 (-0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4442
    +0,0643 (+1,01%)
     

Caso Brumadinho terá nova audiência em dezembro após proposta da Vale ser rejeitada

Por Roberto Samora
·1 minuto de leitura
Homenagem de familiares a vítimas de desastre com barragem da Vale em Brumadinho (MG)
Homenagem de familiares a vítimas de desastre com barragem da Vale em Brumadinho (MG)

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - O governo de Minas Gerais e instituições do sistema de Justiça não aceitaram nesta terça-feira proposta financeira da mineradora Vale para um acordo global relacionado a reparações pelo desastre de Brumadinho (MG), e uma nova audiência foi marcada para o dia 9 de dezembro.

Segundo comunicado divulgado pelo governo de Minas após audiência com a mineradora, a proposta feita pela Vale "não está em conformidade com as premissas que haviam sido acordadas".

O presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo, havia comentado no final de outubro sobre um avanço nas premissas para o acordo, quando ressaltou que a empresa quer um acerto estável que dê segurança jurídica sobre as reparações.

Ainda segundo a nota do governo, a Vale solicitou prazo para análise das considerações feitas pelo Estado sobre o assunto.

Pouco antes, a Vale havia informado que segue mantendo um "diálogo construtivo" com o governo de Minas Gerais e instituições de Justiça visando um possível acordo global sobre Brumadinho.

A Vale afirmou também que ainda não há definição de valores para um eventual acordo relacionado ao desastre com a barragem de rejeitos de mineração que deixou cerca de 270 pessoas mortas, em janeiro de 2019.

Na reunião desta terça-feira, no Cejusc, órgão de mediação do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, ficou acordado que a empresa estenderá um pagamento emergencial para o mês de dezembro, segundo a companhia.

De acordo com nota do governo mineiro, a extensão do auxílio para regiões atingidas foi acertada após pedido das instituições jurídicas que representam o Estado e a União, já que os pagamentos iriam se encerrar em novembro.