Mercado abrirá em 10 hs
  • BOVESPA

    128.427,98
    -339,48 (-0,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.170,78
    +40,90 (+0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,07
    -0,01 (-0,01%)
     
  • OURO

    1.775,20
    -8,20 (-0,46%)
     
  • BTC-USD

    32.585,66
    -1.277,61 (-3,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    780,81
    -29,39 (-3,63%)
     
  • S&P500

    4.241,84
    -4,60 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    33.874,24
    -71,34 (-0,21%)
     
  • FTSE

    7.074,06
    -15,95 (-0,22%)
     
  • HANG SENG

    28.902,66
    +85,59 (+0,30%)
     
  • NIKKEI

    28.920,12
    +45,23 (+0,16%)
     
  • NASDAQ

    14.296,50
    +33,50 (+0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9271
    -0,0014 (-0,02%)
     

Metroviários de SP decidem nesta terça se vão parar à meia-noite

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A partir das 19h desta terça (18), metroviários do estado de São Paulo votam sobre a convocação de greve para esta quarta (19). A votação acontece após mais uma rodada malsucedida de negociações com o Metrô.

Nesta segunda (17), a empresa recusou a proposta apresentada pelo MPT (Ministério Público do Trabalho) e apresentou outra, que foi considerada "inaceitável" pela categoria. A audiência de conciliação teria continuidade nesta terça, a partir das 14h30, mas representantes do Metrô não compareceram ao TRT-2 (Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região).

"Assim não temos outra opção que não seja orientar os metroviários a não compareceram ao trabalho nesta quarta", afirma o coordenador do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, Wagner Fajardo.

Se confirmada, a paralisação afetará as linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 15-Prata (monotrilho), onde trabalham cerca de 7.200 metroviários.

As linhas 4-Amarela e 5-Lilás não estão incluídas na mobilização porque têm data-base em março, quando negociaram um reajuste cujo índice ficou em torno de 4%, também de acordo com o sindicato.

Os profissionais reivindicam o cumprimento do acordo coletivo e o reajuste salarial pela inflação. A categoria diz estar há dois anos sem reajuste.

A última proposta do Metrô oferecia reajuste salarial de 2,61%, não retroativo, a partir de 1º/1/2022, pagamento da 2ª parcela do PR (Participação nos Resultados) somente em 31/1/2022 e mediante "formalização de acordo que contemple as condições e critérios do valor a ser pago".

O resultado da votação que pode determinar a greve sairá por volta das 21h30.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos