Mercado abrirá em 2 horas 1 minuto
  • BOVESPA

    115.882,30
    -581,70 (-0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.262,01
    -791,59 (-1,76%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,41
    -0,44 (-0,83%)
     
  • OURO

    1.841,80
    -7,10 (-0,38%)
     
  • BTC-USD

    31.480,34
    +185,18 (+0,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    633,64
    +5,97 (+0,95%)
     
  • S&P500

    3.750,77
    -98,85 (-2,57%)
     
  • DOW JONES

    30.303,17
    -633,83 (-2,05%)
     
  • FTSE

    6.463,01
    -104,36 (-1,59%)
     
  • HANG SENG

    28.550,77
    -746,76 (-2,55%)
     
  • NIKKEI

    28.197,42
    -437,79 (-1,53%)
     
  • NASDAQ

    12.956,50
    -149,00 (-1,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5480
    -0,0057 (-0,09%)
     

Metrô vai escanear rostos para vender mais anúncios

Willian Moreira/Futura Press
Willian Moreira/Futura Press

O metrô de São Paulo utilizará o reconhecimento facial dos usuários em suas portas para aprimorar campanhas publicitárias.

A novidade funciona da seguinte forma: câmeras e sensores serão instalados nas portas com o objetivo de reconhecer a presença humana e captar as emoçōes esboçadas diante de determinados assuntos.

A inteligência também permite contabilizar quantas pessoas circulam pelo local, diferenciar o sexo do indivíduo e reconhecer se uma pessoa passou por ali mais de uma vez.

A instalação foi anunciada mês passado pela Via Quatro, concessionária responsável pela Linha 4 amarela. A princípio, apenas as estações Luz, Paulista e Pinheiros terão acesso à engenharia.

“As portas de plataforma interativas são uma tecnologia inovadora desenvolvida pela ViaQuatro para aprimorar transmissão de informações aos passageiros da Linha 4-Amarela. Essa nova ferramenta na área de comunicação e marketing, com recursos sofisticados, pode colaborar na criação de novas estratégias para públicos específicos, visando mais efetividade na troca de mensagens importantes ou mesmo o incremento em vendas”, explica Harald Zwetkoff, presidente da ViaQuatro, por meio de nota.