Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    61.647,95
    -1.747,45 (-2,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

Meteoro explode no céu dos EUA com a força de 200 kg de TNT e causa estrondo

Danielle Cassita
·3 minuto de leitura

No último domingo (7), moradores do estado de Vermont, nos Estados Unidos, entraram em contato com a estação de notícias local para reportar um estrondo intenso, junto de uma vibração tão forte que foi sentida em forma de tremores pelo corpo. Na verdade, eles ouviram — e sentiram — a passagem e a explosão de um meteoro por volta das 19h40, que produziu um espetacular show de luzes no céu enquanto seguia pela atmosfera terrestre.

Quando objetos espaciais entram na atmosfera da Terra e se queimam com o atrito, eles emitem um brilho e, assim, recebem o nome de “meteoro”. Às vezes, pode acontecer de serem de brilharem tanto que podem ser visíveis até mesmo durante o dia, e aí recebem o apelido de “bola de fogo” — para comparação, as bolas de fogo podem ter magnitude de -4, que é equivalente à de Vênus no céu noturno.

Confira a passagem do meteoro na filmagem abaixo, feita por câmeras do aeroporto de Burlington:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Segundo uma publicação do NASA Meteor Watch, que mantém uma página voltada ao compartilhamento de informações sobre meteoros e outros fenômenos do tipo, os relatos de testemunhas apontavam que a bola de fogo ocorreu ao nordeste de Vermont, e apareceu primeiro a 84 km de altitude da floresta de Mount Mansfield State Forest, que fica na direção leste de Burlington. Depois, a rocha seguiu a 53 km na direção da fronteira com o Canadá, e desapareceu ao sul de Newport, também a 53 km de altitude.

Vários moradores contactaram a estação de notícias local após a passagem do objeto, e descreveram ter ouvido um som alto e sentido uma forte vibração. Chris Hrotic comentou na publicação da NASA que “teve sorte de ouvir e ver o meteoro um pouco antes de o pôr-do-Sol” e que, embora não tenha ouvido o som forte que outros escutaram, ouviu algo que o fez olhar para o céu bem no momento em que a rocha passava, brilhando.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Ainda segundo a agência espacial, eles receberam mais de 100 relatos de pessoas que viram a passagem da rocha e, com as informações, foi possível estabelecer que o objeto se movia à velocidade de 19 km/s. Depois de obter medidas de amplitude e duração dos sinais coletados por estações próximas, a NASA estima que a bola de fogo se rompeu com energia equivalente à de 200 kg de TNT. Com estes dados, é calcular que o objeto tinha massa de 4,5 kg, e 15 cm de diâmetro.

É bastante provável que o visitante seja o fragmento de um asteroide. Conforme ele se deslocou pela atmosfera, foi ganhando pressão na parte frontal, enquanto um vácuo parcial se formou na parte de trás. Assim, a diferença da pressão excedeu a força da própria estrutura do objeto, que causou sua fragmentação e, como consequência, uma onda de pressão que causou o som que os moradores ouviram. Essa onda é capaz de atingir o solo e causar tremores que podem ser captados por instrumentos sísmicos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: