Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.519,32
    -1.177,33 (-3,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Meteoro com brilho esverdeado é visto em quatro estados do nordeste

·2 minuto de leitura

Por volta das 18h59 (horário de Brasília) do último dia 22 de maio, mais um meteoro cruzou o céu do nordeste e foi visto em quatro estados, incluindo Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Ceará. O fenômeno, que ocorreu próximo à costa, chamou a atenção com seu grande tamanho e também seu brilho esverdeado.

Objetos espaciais atingem a atmosfera da Terra o tempo todo e boa parte desses fragmentos são tão pequenos que se queimam por completo durante a entrada. No entanto, quando esses pedaços de rocha são grandes, eles levam mais tempo para se queimar e explodem antes de apagar — estes meteoros são chamados de bólidos. Se algum pedaço resistir a essa queima e alcançar o solo, surge, então, o meteorito. Vale lembrar que, no último dia 19 de maio, uma bola de fogo cruzou o céu diurno da Bahia e, além de seu brilho, foi acompanhado de um forte estrondo.

Bólido registrado a partir de João Pessoa, na Paraíba (Imagem: Reprodução/Marcelo Zurita/BRAMON/Clima ao Vivo)
Bólido registrado a partir de João Pessoa, na Paraíba (Imagem: Reprodução/Marcelo Zurita/BRAMON/Clima ao Vivo)

A Rede Brasileira de Observação de Meteoros (BRAMON) recebeu os primeiros relatos do fenômeno da Paraíba, todos eles alegando o avistamento de uma grande bola de fogo esverdeada cruzando o céu na direção nordeste. A confirmação foi possível graças ao registro das câmeras da rede instaladas em João Pessoa e do Clima ao Vivo.

Ao analisar os vídeos a partir de diversos pontos de observação, a BRAMON estimou a trajetória do bólido durante sua entrada na atmosfera. Segundo a rede, o meteoro surgiu a 99,2 km acima do Oceano Atlântico e a 110 km de distância da costa leste do Rio Grande do Norte. Então, ele seguiu brilhando na direção noroeste, quando sumiu a 36 km acima do mar e a 53 km de Natal. Em apenas cinco segundos, a bola de fogo percorreu uma distância estimada de 36,3 km a uma velocidade média de 64.000 km/h.

Caminho percorrido pelo bólido na atmosfera (Imagem: Reprodução/BRAMON)
Caminho percorrido pelo bólido na atmosfera (Imagem: Reprodução/BRAMON)

Os especialistas da BRAMON ainda consideram a possibilidade de um meteorito ter atingido o mar. Com base na luminosidade e na velocidade do bólido, estima-se que a rocha possuía entre 20 a 60 kg — e cerca de 5 kg, no máximo, podem ter resistido à queima atmosférica. Se realmente sobrou alguma parte do objeto, agora o meteorito se encontra no fundo do Oceano Atlântico.

Confira, abaixo, as imagens obtidas pelas câmeras da BRAMON e do Clima ao Vivo:

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: