Mercado fechará em 4 h 37 min
  • BOVESPA

    112.737,98
    +1.554,02 (+1,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.334,57
    -42,90 (-0,09%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,28
    +1,00 (+1,63%)
     
  • OURO

    1.711,20
    -4,60 (-0,27%)
     
  • BTC-USD

    49.131,14
    -1.855,95 (-3,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    985,59
    -1,62 (-0,16%)
     
  • S&P500

    3.801,94
    -17,78 (-0,47%)
     
  • DOW JONES

    31.229,96
    -40,13 (-0,13%)
     
  • FTSE

    6.623,25
    -52,22 (-0,78%)
     
  • HANG SENG

    29.236,79
    -643,63 (-2,15%)
     
  • NIKKEI

    28.930,11
    -628,99 (-2,13%)
     
  • NASDAQ

    12.525,75
    -156,00 (-1,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7610
    -0,0177 (-0,26%)
     

Metas climáticas podem custar trilhões de dólares a petroestados

Marc Champion
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- As economias de pelo menos 19 países dependentes das exportações de petróleo e gás podem perder trilhões de dólares em receitas até 2040 em razão das metas climáticas, de acordo com estudo publicado na quinta-feira.

Os resultados são um alerta para que nações dependentes de combustíveis fósseis diversifiquem suas economias e para que países mais ricos ajudem aqueles com finanças frágeis a conduzirem a transição para uma energia mais limpa, de acordo com relatório do Carbon Tracker.

O think tank financeiro calculou o impacto da transição dos combustíveis fósseis para fontes de energia de baixo carbono em 40 países que dependem mais das receitas de petróleo e gás.Azerbaijão, Angola, Congo, Líbia, Nigéria e Arábia Saudita estavam entre os países nas categorias mais expostas: alguns podem perder cerca de 40% das receitas públicas totais. A Arábia Saudita e alguns outros exportadores de petróleo e gás do Golfo têm tomado medidas para reduzir a dependência das receitas de petróleo, e seriam mais protegidos pelos baixos custos de extração e grandes fundos soberanos, disse o estudo.Irã, México e Rússia, com economias já mais diversificadas, perderiam entre 10% e 20% das receitas totais do governo até 2040. Ao todo, os 40 petroestados selecionados poderiam perder US$ 9 trilhões em receita com petróleo no período de 20 anos, segundo o estudo.

Andrew Grant, responsável por clima, energia e indústria do Carbon Tracker, disse que há riscos na suposição do relatório de que a demanda por petróleo e gás deve cair à medida que os governos agem para evitar que as temperaturas globais aumentem muito.

A maioria dos modelos de demanda indica um aumento do consumo nos próximos anos, apesar dos esforços para acelerar a substituição dos combustíveis fósseis.

O estudo baseou as conclusões em um preço médio do petróleo de US$ 40 por barril até 2040, em linha com um cenário da Agência Internacional de Energia que pressupõe que os governos farão o que for preciso para controlar a mudança climática. O valor se compara ao preço de US$ 60 compatível com o cenário típico da AIE.

A Opep prevê que a produção global anual de petróleo aumentará para 109 bilhões de barris em 2045 em relação aos 100 bilhões de barris em 2019, já que a demanda total por energia sustenta vendas de combustíveis fósseis, mesmo com a maior participação de mercado das energias renováveis.“Talvez estejam certos, quem sabe”, disse Grant. No entanto, com mais governos comprometidos com a neutralidade de carbono até 2050 e as energias renováveis cada vez mais baratas, disse, “o rumo da viagem é claramente em direção a uma maior ambição e transição mais rápida”.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.