Mais da metade dos profissionais está insatisfeita com seu gestor

SÃO PAULO - A maioria dos profissionais está insatisfeita com seu gestor imediato. Segundo pesquisa da Page Personnel, para 53% dos profissionais consultados seus líderes mais próximos não estão atendendo às expectativas profissionais.

De acordo com o diretor-executivo da empresa no Brasil, Roberto Picino, o resultado mostra que há uma dissonância na relação entre gestores e subordinados. "Essa nova geração de liderados tem expectativas e objetivos distintos. Os líderes tem um desafio enorme pela frente e precisarão de muita habilidade para poder lidar com os anseios e características de seus subordinados. Quanto mais diálogo houver nessa relação, maior é chance de aumentar o sincronismo na equipe", explica.

Expectativas não atendidas
O levantamento identificou que para 54,8% dos liderados, seus superiores não atendem às expectativas pela falta de clareza quanto às metas e objetivos da companhia. Outros 52,3% de subordinados afirmam que seus líderes não instruem ou treinam o time adequadamente.

O líder não conhecer detalhadamente as funções de cada integrante da equipe desaponta 43,8% dos liderados. Gestores que não delegam ou apoiam inovações são reprovados por 39,5% dos subordinados. O líder não saber ou conseguir transmitir conhecimento à equipe incomoda 28,8% dos liderados. E há ainda 23,8% de subordinados afirmando que seus valores não convergem com o do seu gestor.

São Paulo é o estado mais insatisfeito
No índice de satisfação por região, 40,7% das pessoas que trabalham em São Paulo afirmam que seus líderes não atendem às expectativas. No Rio de Janeiro, o percentual é de 43,2%. Somente em Minas Gerais foi identificado um grau de satisfação que supera as expectativas : 50,8% aprovam o modelo de gestão de seus líderes.

“Essa diferença de resultados regionais mostra que há diferentes estilos de gestão dos líderes nessas praças. A conversa franca e constante é o melhor caminho para diminuir a insatisfação entre essas partes”, conclui Picino.

A pesquisa foi realizada em agosto e setembro deste ano com 2.400 profissionais de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Participaram do levantamento advogados, assistentes, analistas, coordenadores, supervisores, gerentes, diretores e presidentes de diversos setores.

Carregando...