Mercado abrirá em 6 h 34 min

Metade de compradores do Taycan nunca teve um Porsche, diz CEO

Hannah Elliott

(Bloomberg) -- Metade das pessoas que compram o carro elétrico Taycan nunca teve um Porsche, segundo o presidente da montadora na América do Norte, Klaus Zellmer.

“Cinquenta por cento [dos compradores do Taycan]” nunca haviam comprado a marca, disse Zellmer em entrevista à Bloomberg TV em 24 de janeiro. Uma taxa de clientes de marcas rivais de 50% ou mais “é uma indicação muito boa de ter a estratégia certa, pelo menos em nosso modelo de negócios”.

Zellmer detalhou o comercial do sedã totalmente elétrico que será veiculado no próximo Super Bowl, a decisão da temporada de futebol americano. No primeiro anúncio de TV da Porsche para o Super Bowl desde 1997, a montadora alemã tenta “roubar” clientes da Tesla. O anúncio de 1997 apresentou o Porsche Boxster de primeira geração.

A Tesla, disse Zellmer, é a principal concorrente da Porsche.

“A principal concorrente no mundo exterior que atualmente está competindo com o Taycan é a Tesla”, afirmou Zellmer, com base em dados que a empresa compilou a partir de pagamentos de entrada para o carro. “Respeitamos essa marca. Respeitamos que preparem o mercado para veículos elétricos a bateria. Mas também respeitamos seus clientes, que agora estão pensando em dirigir um Porsche quando se trata de bateria elétrica.”

Até agora, fabricantes europeus de carros de luxo têm encontrado dificuldade para competir com a Tesla. Veículos como o E-Tron ou o Jaguar I-Pace, da Audi, tiveram um início irregular, e a Mercedes-Benz teve que adiar o lançamento de seu próprio SUV elétrico. Enquanto isso, o valor de mercado da Tesla superou o da Volkswagen pela primeira vez em 21 de janeiro, chegando a mais de US$ 100 bilhões, uma marca que resultará em remuneração considerável para o fundador Elon Musk se conseguir sustentar o feito. O valor de mercado da Tesla naquele dia chegou a US$ 107,2 bilhões, superando os US$ 99,4 bilhões da Volks e perdendo apenas para a Toyota Motor.

O sucesso do Taycan, cujo preço pode variar de US$ 104 mil a US $ 185 mil, é vital para a Porsche em sua ofensiva de longo prazo no segmento de carros elétricos, com investimentos de US$ 6 bilhões. Até 2025, a marca mais rentável da Volkswagen espera que os híbridos plug-in e carros totalmente movidos a bateria sejam responsáveis por 50% das entregas globais. Até o 911 - amado por fãs desde 1963 e o carro esportivo mais rentável no mundo - será elétrico um dia, disse Zellmer.

“Tudo se tornará elétrico”, afirmou.

A Porsche contornou problemas da indústria automobilística global no ano passado e registrou aumento de 10% das entregas, para um recorde de 280.800 carros em todo o mundo em 2019. Mas Zellmer também alertou que, apesar do 10º recorde consecutivo de vendas, o crescimento permanece incerto. A economia global “está potencialmente desacelerando”, afirmou. “Precisamos ser cautelosos.”

Até agora, as vendas iniciais do Taycan mostram resultados incertos. Embora representantes da Porsche tenham dito consistentemente que quase 30 mil clientes tenham dado entrada para comprar o modelo no mundo todo, Zellmer disse durante a entrevista que 130 unidades foram entregues nos EUA em 2019.

--Com a colaboração de Christoph Rauwald.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Repórter da matéria original: Hannah Elliott em NY, helliott8@bloomberg.net

Para entrar em contato com a editoria responsável: Jennifer Parker, jgaddy@bloomberg.net

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.