Mercado fechará em 5 h 44 min
  • BOVESPA

    110.128,81
    -11,83 (-0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.874,91
    -1.144,00 (-2,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,05
    +0,17 (+0,22%)
     
  • OURO

    1.928,70
    -2,10 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    23.536,78
    -246,39 (-1,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    537,69
    -7,62 (-1,40%)
     
  • S&P500

    4.179,76
    +60,55 (+1,47%)
     
  • DOW JONES

    34.053,94
    -39,02 (-0,11%)
     
  • FTSE

    7.852,02
    +31,86 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.739,00
    -107,75 (-0,84%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5419
    +0,0522 (+0,95%)
     

Meta processa empresas suspeitas de roubar 1 milhão de contas do WhatsApp

Meta está processando as empresas por, supostamente, ludibriado os usuários a baixarem versões falsas (Getty Image)
Meta está processando as empresas por, supostamente, ludibriado os usuários a baixarem versões falsas (Getty Image)
  • Meta processa três desenvolvedoras suspeitas de realizar fraudes

  • Companhias estariam distribuindo ao menos dois aplicativos maliciosos

  • Os apps eram distribuídos na Google Play Store

Três desenvolvedoras asiáticas suspeitas de realizar uma grande fraude estão na mora da Meta. A dona do WhatsApp está processando as empresas por, supostamente, ludibriado os usuários a baixarem versões falsas do mensageiro e roubado cerca de um milhão de contas.

Uma denuncia aponta que as companhias estariam distribuindo ao menos dois aplicativos maliciosos: “AppUpdater for WhatsPlus 2021 GB Yo FM HeyMods” e “Theme Store for Zap”.

Os apps eram distribuídos na Google Play Store, em lojas de terceiros e nos sites das próprias empresas. Eles acessavam as chaves da conta e as informações de autenticação do usuário, roubando as credenciais para enviar para as desenvolvedoras.

Além do uso indevido da marcas registradas do WhatsApp, as empresas também estão sendo processadas por violar termos do contrato. De acordo com a Meta, elas teriam criado contas comerciais e páginas no Facebook.

"As rés concordaram e ficaram vinculadas aos termos Meta, termos de plataforma e políticas de desenvolvedor quando criaram várias páginas do Facebook e aplicativos. (…) As rés violaram esses acordos com a Meta ao tomar as ações descritas”, alega a acusação.

A Meta ainda disse que gastou “esforços e recursos” significativos para “investigar, resolver e mitigar” os problemas estabelecidos na denúncia.

"Esses aplicativos prometiam novos recursos, mas eram apenas uma farsa para roubar informações pessoais armazenadas nos telefones das pessoas. Compartilhamos o que encontramos com o Google e trabalhamos com eles para combater os aplicativos maliciosos", disse Will Cathcart, chefe executivo do WhatsApp.