Mercado fechado

Meta do México para perfuração de poços de petróleo emperra

Peter Millard e Amy Stillman

(Bloomberg) -- Uma iniciativa da petroleira estatal do México para perfurar novos poços em 20 campos “prioritários” usando, em grande parte, pequenos prestadores de serviços locais começa a apresentar problemas. A expectativa é de que a empresa volte a licitar parte do projeto ao longo do ano.

Para analistas do setor, há poucas evidências de que a decisão da Petróleos Mexicanos de usar um processo de licitação fechado com empresas pré-selecionadas esteja acelerando a perfuração no momento em que o governo tenta impulsionar uma economia estagnada. A licitação, concluída em maio, foi liderada por empresas locais com lances baixos apenas para conseguir ganhar o projeto, disse Pablo Medina, vice-presidente da Welligence Energy Analytics.

Em alguns casos, disse, essas empresas não possuíam experiência e não conseguiram fornecer o equipamento necessário. O resultado: somente dois dos 20 campos estavam produzindo até o fim de novembro, segundo dados da Comissão Nacional de Hidrocarbonetos. E agora a Pemex deverá licitar pelo menos nove plataformas, de acordo com a Borr Drilling, uma empresa em expansão no México.

“Elas pensaram que poderiam iniciar a produção nesses campos mais rapidamente, mas isso não aconteceu”, disse por telefone Jorge Sierra, analista sênior da Wood Mackenzie, na Cidade do México. “As empresas que ganharam os pacotes para a perfuração dos campos prioritários não tinham experiência em administrar contratos de serviços integrados, como grandes empresas internacionais, como Schlumberger e Halliburton.”

A pressão para perfurar cerca de 100 novos poços ocorreu em um ano de estagnação do PIB do México. O petróleo e o gás geraram cerca de 18% da receita do governo no segundo trimestre. Ao mesmo tempo, o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, afirmou que planeja aumentar o salário mínimo em 20% em 2020 para melhorar as condições dos mais pobres do país.

A Pemex não quis responder a perguntas sobre as licitações ou sobre o cronograma de perfuração de poços. A produção de petróleo da empresa somou 1,70 milhão de barris por dia em novembro, cerca de um milhão de barris abaixo da meta de produção para 2024.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Repórteres da matéria original: Peter Millard em Rio De Janeiro, pmillard1@bloomberg.net;Amy Stillman Mexico City, astillman7@bloomberg.net

Para entrar em contato com os editores responsáveis: Tina Davis, tinadavis@bloomberg.net, Reg Gale, David Marino

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

©2020 Bloomberg L.P.