Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,44 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,75 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.337,53
    -265,08 (-1,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,10 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,96 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,84 (-1,83%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

Meta começa a reduzir conteúdo político do feed do Facebook no Brasil

A Meta começou a reduzir a distribuição de conteúdo político no feed do Facebook para os brasileiros. A medida foi anunciada na quinta-feira (7) como parte de um feedback recebido dos usuários.

Segundo o Facebook, foram conduzidas pesquisas com as pessoas para saber o que elas queriam ver mais e o que desejam ver menos na plataforma. Os conteúdos políticos, que devem crescer nos próximos meses, foram apontados como um dos menos desejados.

O Facebook quer diminuir a exibição de assuntos políticos no feed dos brasileiros (Imagem: Erik Mclean/Unsplash)
O Facebook quer diminuir a exibição de assuntos políticos no feed dos brasileiros (Imagem: Erik Mclean/Unsplash)

O algoritmo do feed passará a dar menos ênfase a comentários e compartilhamentos para determinar a distribuição de conteúdo político no país. Isso não significa que você deixará de ver tais assuntos, mas a timeline deve ser mais variada a partir de agora. Os testes globais começaram no dia 24 de maio de forma global, inclusive no Brasil, que já fazia parte da lista preliminar em fevereiro.

Embora não esteja no texto de anúncio no blogspot do Facebook, a medida seria uma forma de minimizar a influência da rede social nas campanhas, decisão que pode ter sido antecipada em razão da proximidade do período pré-eleitoral, quando as chapas já estão formadas e os candidatos se lançaram. Diminuir o peso dos comentários e compartilhamentos é a forma encontrada para reduzir o alcance dos posts políticos, muitos deles artificialmente impulsionados por robôs e perfis falsos para dar mais visibilidade para assuntos estratégicos.

Redução do alcance começou ano passado no mundo

As ações começaram em fevereiro de 2021 com um anúncio formal do CEO da Meta, Mark Zuckerberg. De lá para cá, a rede social fez experimentos em diversos países que passaram por processos eleitorais, justamente para avaliar o impacto das medidas. Agora, é a vez do Brasil, que vive um delicado momento de tensão no campo político.

Embora os políticos possam não gostar, a decisão da rede social teria sido tomada com foco no usuário. Conforme a nota do Facebook, as pessoas estão interessadas em ver conteúdos considerados mais "valiosos" para elas. Em dezembro do ano passado, os vídeos do Facebook Watch com temas políticos também tiveram essa redução de alcance.

O que diz o Facebook?

A Meta trabalha em parceria com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para combater fake news, discursos de ódio e outras práticas disseminadas em posts, grupos e mensagens diretas. Por ser frequentado por um público de mais idade, o Facebook é uma das principais fontes de debates políticos do Brasil, o que obviamente também gera elevado volume de boatos e outras práticas combatidas pelas autoridades locais.

Além desta rede social, o Instagram e o WhatsApp também se comprometeram a lutar contra a disseminação de mentiras durante o processo eleitoral brasileiro. No caso do mensageiro, por exemplo, o recurso de Comunidades teve a implementação adiada para somente após o fim de outubro, quando se encerra o segundo turno de votação.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: