Mercado fechará em 43 mins
  • BOVESPA

    108.205,36
    -516,22 (-0,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.605,31
    -443,74 (-0,82%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,87
    +2,76 (+3,72%)
     
  • OURO

    1.892,80
    +13,30 (+0,71%)
     
  • BTC-USD

    23.198,75
    +163,94 (+0,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    534,51
    +8,55 (+1,63%)
     
  • S&P500

    4.129,69
    +18,61 (+0,45%)
     
  • DOW JONES

    33.947,35
    +56,33 (+0,17%)
     
  • FTSE

    7.864,71
    +28,00 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    21.298,70
    +76,54 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    27.685,47
    -8,18 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.711,00
    +195,50 (+1,56%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5520
    +0,0327 (+0,59%)
     

Meta é multada em R$ 1,46 bilhão por vazamento de dados

A Meta foi multada em € 265 milhões (cerca de R$ 1,46 bilhão) pela Comissão de Proteção de Dados (DPC) da Irlanda, após um vazamento de dados em abril de 2021 expor as informações de mais de 533 milhões de usuários. Esta é a terceira multa imposta à big tech pela DPC, somente neste ano.

Segundo a reportagem do portal The Verge, as investigações começaram logo que o vazamento foi noticiado e envolveu um exame para saber se o Facebook cumpria as leis do Regulamento Geral de Proteção de Dados — a LGPD europeia. O site Insider detectou que as informações vazadas foram publicadas em um fórum de hackers online, incluindo nomes completos, números de telefone, locais e datas de nascimento de usuários do Facebook de 2018 e 2019.

Na época em que o vazamento foi noticiado, a Meta afirmou que as informações foram obtidas através de uma vulnerabilidade corrigida em 2019 e que são as mesmas informações envolvidas em um vazamento descoberto em janeiro de 2021, pela Motherboard.

Meta já foi multada em quase R$ 3,7 bilhões em 2022

Somente a DPC já multou a Meta em quase US$ 700 milhões (R$ 3,7 bilhões) em 2022. Em março, o órgão aplicou uma punição de US$ 18,6 milhões (R$ 98,87 milhões) devido à manutenção incorreta de registros sobre uma série de violações de dados de 2018, em que foram expostos dados de até 30 milhões de usuários.

Em setembro foi a vez do Instagram, em que a Meta foi condenada a pagar US$ 402 milhões após uma investigação sobre o tratamento de dados de adolescentes pela rede social. Esta é a terceira penalidade aplicada à big tech pela DPC, somente neste ano.

Sobre o assunto, um porta-voz não identificado da Meta deu uma declaração à repórter Jess Kelly, do Newstalk, que diz: Fizemos alterações em nossos sistemas durante o período em questão, incluindo a remoção da capacidade de raspar nossos recursos dessa maneira usando números de telefone. A extração de dados não autorizada é inaceitável e contra nossas regras e continuaremos trabalhando com nossos colegas nesse desafio do setor. Estamos analisando esta decisão com cuidado.”

A Meta não respondeu ao pedido de comentário do portal The Verge.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: