Mercado abrirá em 7 h 38 min
  • BOVESPA

    106.247,15
    -2.542,18 (-2,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.394,03
    -1.070,00 (-2,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,24
    +0,65 (+0,59%)
     
  • OURO

    1.812,40
    -3,50 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    29.144,31
    -822,84 (-2,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    649,31
    -21,37 (-3,19%)
     
  • S&P500

    3.923,68
    -165,17 (-4,04%)
     
  • DOW JONES

    31.490,07
    -1.164,52 (-3,57%)
     
  • FTSE

    7.438,09
    -80,26 (-1,07%)
     
  • HANG SENG

    20.184,28
    -460,00 (-2,23%)
     
  • NIKKEI

    26.456,80
    -454,40 (-1,69%)
     
  • NASDAQ

    11.927,00
    -8,50 (-0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2364
    +0,0181 (+0,35%)
     

Mester, do Fed, diz que inflação precisa recuar por vários meses antes de haver garantia de pico

Presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester

WASHINGTON (Reuters) - A inflação precisará arrefecer por "vários meses" antes que autoridades do Federal Reserve possam concluir com segurança que ela atingiu seu pico, disse a presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, nesta sexta-feira, acrescentando que estaria pronta para considerar um aumento mais intenso dos juros na reunião do Fed de setembro se os dados não mostrarem melhora.

"Os riscos para a inflação permanecem fortemente inclinados para cima, especialmente em meio à guerra contínua na Ucrânia e ao potencial de que a política de Covid zero na China perturbe ainda mais as cadeias de suprimentos. Precisarei ver meses de leituras sustentadas de inflação para baixo antes de concluir que a inflação atingiu o pico", disse Mester em comentários a um fórum de política monetária.

Com amplo apoio a aumentos de juros de 0,5 ponto percentual nas reuniões de junho e julho do Fed, Mester disse que este outono (no Hemisfério Norte) será um momento crucial para avaliar se a alta dos preços está arrefecendo ou não em relação à taxa atual, a mais forte em 40 anos. Segundo ela, o Fed ajustará o ritmo de elevação dos custos dos empréstimos em conformidade com o comportamento da inflação.

"Se até a reunião de setembro as leituras mensais de inflação fornecerem evidências convincentes de que a inflação está caindo, então o ritmo dos aumentos de juros pode desacelerar, mas, se a inflação não moderar, então um ritmo mais rápido de elevação dos juros pode ser necessário", disse Mester.

(Por Howard Schneider)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos