Mercado fechará em 5 h 54 min
  • BOVESPA

    106.492,07
    -1.959,13 (-1,81%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.914,99
    -527,22 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,02
    -0,13 (-0,16%)
     
  • OURO

    1.661,60
    -8,40 (-0,50%)
     
  • BTC-USD

    19.026,45
    -104,04 (-0,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    434,63
    -11,35 (-2,55%)
     
  • S&P500

    3.634,82
    -84,22 (-2,26%)
     
  • DOW JONES

    29.152,46
    -531,28 (-1,79%)
     
  • FTSE

    6.865,94
    -139,45 (-1,99%)
     
  • HANG SENG

    17.165,87
    -85,01 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    26.422,05
    +248,07 (+0,95%)
     
  • NASDAQ

    11.269,50
    -286,25 (-2,48%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2652
    +0,0326 (+0,62%)
     

Mesmo sem voto impresso, eleição está garantida em 2022 diz Mourão

·1 min de leitura
Vice-presidente Hamilton Mourão

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta quinta-feira que, mesmo se não for aprovada a adoção do voto impresso para as urnas eletrônicas, a eleição presidencial do próximo ano está garantida.

A declaração de Mourão foi dada na esteira de uma reportagem publicada mais cedo pelo jornal O Estado de S. Paulo que relata que, no último dia 8, o presidente da Câmara, Arthur Lira (Progressistas-AL), recebeu um recado do ministro da Defesa, Walter Braga Netto, por meio de um interlocutor, de que não haveria eleições em 2022 se não houvesse voto impresso.

"Lógico (que haverá eleição mesmo que não passe o voto impresso). Quem é que vai proibir eleição no Brasil, pô? Nós não somos uma República de bananas", disse Mourão em conversa com jornalistas na chegada à Vice-Presidência.

"Lógico que vai ter eleição, quem é que vai proibir?", reforçou ele, que é um general da reserva.

Mourão disse que Braga Netto negou para ele que tenha enviado um emissário para avisar que não teria eleição sem a mudança no atual sistema de votação.

Em desvantagem nas pesquisas de intenção de voto à reeleição e desgastado por uma CPI no Senado, o presidente Jair Bolsonaro elevou nas últimas semanas sua defesa do voto impresso para urnas eletrônicas em discussão na Câmara.

Aos jornalistas, o vice-presidente tentou minimizar a reportagem ao dizer, por exemplo, que conhece o ministro da Defesa há muito tempo e ele não é uma pessoa de mandar recado.