Mercado fechado

Mesmo na pandemia, app de carona registra 30 mil novos usuários por semana

Rui Maciel
·3 minuto de leitura

Em tempos em que o distanciamento social, um fenômeno curioso - e contraditório - vem acontecendo: apps de caronas compartilhadas ganharam força durante a pandemia. O principal deles é o da BlaBlaCar, líder desse setor no Brasil. Segundo a empresa, considerando o período de pandemia no Brasil, foram registrados os maiores números de downloads do app nos meses de março e junho, com 408 mil e 337 mil downloads, respectivamente.

Acompanhando esse crescimento, a companhia afirma que vem registrando nesse período 30 mil novos usuários por semana. Além do número de novos usuários, a empresa já acumulou, entre abril e junho desse ano, mais de 1,4 milhão de downloads do app no Brasil e intermediou 3,5 milhões de caronas no período, em plena pandemia.

Mesmo em tempos de distanciamento social, app da BlaBlaCar registra aumento no número de usuários
Mesmo em tempos de distanciamento social, app da BlaBlaCar registra aumento no número de usuários

Os números corroboram uma pesquisa recente feita em conjunto entre a Social Miner e a Opinion Box sobre o futuro do consumo no pós-covid-19. O documento mostrou que 43% dos entrevistados pretendem consumir serviços de viagens e lazer exclusivamente online quando a pandemia passar. O uso de aplicativos, que já vinha crescente no mundo inteiro com um aumento semanal médio de 20% em relação a 2019 - segundo dados da consultoria App Annie- se acelerou com a pandemia.

Crescimento no Brasil

Prova disso é o crescimento considerável do uso de apps no Google Play Brasil, loja de aplicativos para dispositivos Android, sistema operacional mobile dominante no país, com 87,35% de marketshare. A pandemia fez com o gasto dos brasileiros nas categorias Apps e Jogos no Google Play aumentasse 50% no primeiro trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado.

"Tivemos muito gastos com apps de streaming, que já era uma categoria bastante estável, mas que se consolidou de vez.", afirmou Regina Chamma, diretora do Google Play para o Brasil, em entrevista ao Canaltech no último dia 20 de julho. "Além disso, com o aumento exponencial do home office, aplicativos de produtividade, os chamados work from home, que incluem plataformas de videoconferência (Zoom, o [Microsoft] Teams, o próprio Google Meet) além de suites de escritório e aplicativos da categoria de Educação também registraram não apenas um grande número de downloads, mas uma geração maior de receitas", afirmou.

Ranking do Google Play; perfil dos usuários de apps mudou na pandemia
Ranking do Google Play; perfil dos usuários de apps mudou na pandemia

O perfil dos apps gratuitos mais baixados até julho deste ano, segundo relação da consultoria Sensor Tower, também mudou. Aplicativos de benefícios governamentais, como o "Caixa Tem", que dá acesso ao auxílio emergencial federal durante a pandemia, e o do FGTS (já que houve uma massiva perda de empregos nos últimos meses, além da liberação do saque emergencial) estão em primeiro e terceiro, respectivamente, entre os mais baixados nos últimos meses. Além disso, apps de e-commerce (Americanas.com em 2º, Mercado Livre em 7º), pagamento (Mercado Pago em 6º) e videoconferências (Google Meet, em 4º) se destacam entre os 10 mais baixados, indicando uma mudança nos hábitos dos usuários nesse período de pandemia.

Ainda segundo a Sensor Tower, o aumento no número de downloads e no uso de apps fará com o Brasil seja o sétimo maior mercado do Google Play no mundo até 2024. Atualmente, o país está na décima colocação. Além disso, até o ano em questão, o mercado brasileiro deverá se manter no top five em número de downloads, com crescimento de até 6% ao ano até lá.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: