Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.925,86
    -309,90 (-0,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.445,52
    +637,31 (+1,33%)
     
  • PETROLEO CRU

    94,14
    +2,21 (+2,40%)
     
  • OURO

    1.802,40
    -11,30 (-0,62%)
     
  • BTC-USD

    24.139,69
    +473,88 (+2,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    572,05
    -2,69 (-0,47%)
     
  • S&P500

    4.207,27
    -2,97 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    33.336,67
    +27,16 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.465,91
    -41,20 (-0,55%)
     
  • HANG SENG

    20.082,43
    +471,59 (+2,40%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.328,25
    -63,75 (-0,48%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3258
    +0,0794 (+1,51%)
     

Mercosul decide reduzir Tarifa Externa Comum em 10%, diz Ministério da Economia

Prédio do Ministério da Economia em Brasília

Por Bernardo Caram

BRASÍLIA (Reuters) -O Mercosul decidiu reduzir em 10% as alíquotas da Tarifa Externa Comum (TEC) para a maior parte do universo tarifário, informou nesta quinta-feira o Ministério da Economia, em movimento feito por acordo entre os membros do bloco após o Brasil fazer cortes unilaterais nas tarifas.

O entendimento foi alcançado durante reunião do Conselho do Mercado Comum no Paraguai na quarta-feira. Foi a primeira revisão horizontal desde que a TEC foi estabelecida em 1995, segundo nota da pasta.

Alegando urgência por conta da pandemia e da alta da inflação, o governo brasileiro já havia feito dois cortes de 10% nas alíquotas correspondentes à TEC. As decisões foram tomadas de maneira unilateral, sem aval do bloco.

“O entendimento alcançado considera as diferentes necessidades dos países membros, demonstrando a capacidade do Mercosul de avançar com vocação construtiva em direção à atualização e à adaptação de sua estrutura tarifária às atuais condições do comércio regional e mundial”, disse a pasta após o acordo, ressaltando que os membros prosseguirão com trabalho de revisão da TEC.

Um dia após a decisão do bloco, o presidente Jair Bolsonaro argumentou nesta quinta-feira que o acordo terá efeito positivo sobre a inflação e está alinhado à atuação do governo brasileiro.

“O Brasil tem atuado para que o Mercosul tenha papel importante no enfrentamento dos atuais choques externos. Por isso defendemos a redução da tarifa externa comum, o que dará uma importante contribuição no combate à inflação”, afirmou Bolsonaro em participação por meio de um vídeo enviado para reunião de chefes de Estado do Mercosul.

(Reportagem adicional de Lisandra ParaguassuEdição de Camila Moreira e Luana Maria Benedito)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos