Mercado abrirá em 6 h 5 min
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,53 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,15 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,53
    +0,14 (+0,19%)
     
  • OURO

    1.889,30
    +12,70 (+0,68%)
     
  • BTC-USD

    22.781,08
    -612,27 (-2,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    522,71
    -14,15 (-2,64%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,89 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.176,59
    -483,88 (-2,23%)
     
  • NIKKEI

    27.659,60
    +150,14 (+0,55%)
     
  • NASDAQ

    12.553,50
    -70,50 (-0,56%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5391
    +0,0006 (+0,01%)
     

Mercedes vai cobrar taxa extra para deixar carros mais rápidos

O recurso da Mercedes dispõe de uma assinatura para melhorar o desempenho em acelerações (Getty Image)
O recurso da Mercedes dispõe de uma assinatura para melhorar o desempenho em acelerações (Getty Image)
  • Mercedes vai cobrar uma taxa para deixar carros elétricos mais potentes;

  • Proprietários precisarão pagar R$ 6,4 mil por ano pelo serviço adicional da marca;

  • Empresa diz que a mudança ainda vai conferir mais estabilidade para os veículos em curvas.

Admiradores de carros esportivos de luxo geralmente são fãs de alta velocidade. Mas, para quem quiser desbloquear todo o potencial dos veículos elétricos da Mercedes, a brincadeira não vai sair barata.

A empresa lançou um serviço inédito nos Estados Unidos, exclusivo para os proprietários de carros movidos à bateria. O recurso dispõe de uma assinatura para melhorar o desempenho em acelerações da dupla EQE e EQS, com planos que começam em US$ 1,2 mil anuais (R$ 6,4 mil).

Na prática, além de pagar pelo automóvel, o cliente precisa gastar o equivalente a US$ 100 por mês (R$ 533) para acessar um "upgrade" no software.

Para justificar os custos adicionais, a Mercedes diz que o serviço altera não apenas a aceleração, mas também a dirigibilidade, melhorando sua estabilidade em curvas.

A marca explica que o EQE 350 4Matic atinge uma potência de 354 cv após a aquisição da tecnologia, se do que normalmente tem a capacidade de 292 cavalos.

O EQE 350 SUV 4Matic também recebe as mesmas alterações, mas o desempenho é diferente. Se o usuário optar por não desbloquear a capacidade, o carro vai de zero a 96 km/h em 6,2 s, sendo que pagando a assinatura o tempo cai 1 segundo.

O pacote é comprado através do próprio site da marca, e é aplicado via central multimídia do carro, que repassa a informação ao comando eletrônico dos motores (ECU), que libera o desempenho adicional.