Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.259,75
    -657,98 (-0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.707,72
    +55,53 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,78
    -0,86 (-2,12%)
     
  • OURO

    1.903,40
    -1,20 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    12.973,54
    -338,58 (-2,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,05
    -1,40 (-0,54%)
     
  • S&P500

    3.465,39
    +11,90 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    28.335,57
    -28,09 (-0,10%)
     
  • FTSE

    5.860,28
    +74,63 (+1,29%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,65 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.516,59
    +42,32 (+0,18%)
     
  • NASDAQ

    11.669,25
    +19,50 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6639
    +0,0538 (+0,81%)
     

Mercedes esclarece comunicação sobre modo de ultrapassagem de Bottas

Luke Smith
·3 minutos de leitura

Chefe de equipe da Mercedes, Toto Wolff explicou a comunicação de rádio com Valtteri Bottas sobre o uso de um modo de ultrapassagem para tentar alcançar Lewis Hamilton nos estágios iniciais do GP da Bélgica de Fórmula 1, disputado neste domingo (30) no Circuito de Spa-Francorchamps.

A equipe alemã alcançou sua sexta vitória na temporada com Hamilton levando Bottas para uma dobradinha, estendendo sua liderança sobre a Red Bull no campeonato de pilotos.

O editor recomenda:

Chefe da Ferrari 'nega' crise: “Estamos no meio de uma tempestade” VÍDEO: Veja o acidente envolvendo Giovinazzi e Russell na Bélgica F1: Russell se diz grato por segurança após impacto "assustador" com o pneu de Giovinazzi

Hamilton liderou todas as voltas da corrida em Spa e manteve Bottas afastado nos estágios iniciais antes de controlar a diferença na frente. Bottas foi ouvido perguntando se ele tinha "um push" disponível para tentar alcançar Hamilton no início da corrida, quando ele sentou do lado de fora da janela de um segundo do DRS.

O engenheiro de Bottas informou ao finlandês que sim, mas que "concordamos em não usá-lo um contra o outro", ao que Bottas respondeu: "Nunca ouvi falar nisso".

O chefe da equipe da Mercedes, Wolff, explicou após a corrida que havia sido acordado manter os modos de ultrapassagem de alta potência na reserva para se defender de Max Verstappen, da Red Bull.

"Não há regras em vigor entre os dois pilotos, eles podem correr livremente", disse Wolff quando questionado pelo Motorsport.com.

“Pela manhã, concordamos e discutimos que obviamente temos uma quantidade limitada de ultrapassagens e que tentaríamos não usá-las um contra o outro, ou (usar) a última contra o outro”.

“Há sempre o risco de precisar dele contra o Max ou qualquer outro carro. É a isso que estávamos nos referindo”.

"[Com] Valtteri obviamente, isso foi talvez um problema de comunicação entre ele e alguns dos caras. É por isso que reiteramos”.

Bottas disse que era "impossível" dizer se ele foi mais rápido do que Hamilton em algum momento da corrida enquanto corria no ar sujo de seu companheiro de equipe, forçando-o a usar mais os pneus.

Ele sentiu que sua melhor chance de ultrapassar Hamilton veio no início, quando ele conseguiu uma saída melhor na La Source, apenas para ser forçado a diminuir a velocidade para evitar bater na traseira da Mercedes irmã.

"Tentei aproveitar as oportunidades", disse Bottas. "O primeiro foi a largada da corrida, saindo da curva 1, consegui uma corrida melhor do que Lewis, então tive que levantar para não bater nas costas dele”.

"Tentei deixar uma pequena lacuna para obter impulso do reboque, mas hoje, fiquei surpreso como o pequeno reboque que eu tinha com o vento de cauda na curva 5 fez a diferença”.

"Na verdade [foi] o mesmo no reinício, eu esperava alcançá-lo, mas simplesmente não consegui”.

O resultado deixou Bottas 50 pontos atrás de Hamilton no campeonato de pilotos após sete rodadas, com Verstappen com três pontos de vantagem.

Hamilton deita e rola em dia de vexame ferrarista; Cesar Ramos e Motorsport analisam

.