Mercado abrirá em 6 h 24 min
  • BOVESPA

    119.646,40
    -989,99 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.125,71
    -369,70 (-0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,28
    +0,04 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.871,90
    +5,40 (+0,29%)
     
  • BTC-USD

    34.367,12
    -295,50 (-0,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    679,71
    -20,90 (-2,98%)
     
  • S&P500

    3.851,85
    +52,94 (+1,39%)
     
  • DOW JONES

    31.188,38
    +257,86 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.740,39
    +27,44 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    30.042,66
    +400,38 (+1,35%)
     
  • NIKKEI

    28.750,81
    +117,35 (+0,41%)
     
  • NASDAQ

    13.384,25
    +90,00 (+0,68%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4177
    -0,0809 (-1,24%)
     

Mercedes-Benz desiste de fazer carros no Brasil, de novo

Alberto Alerigi Jr.
·2 minuto de leitura

Por Alberto Alerigi Jr.

SÃO PAULO (Reuters) - A Mercedes-Benz anunciou nesta quinta-feira que decidiu parar a produção de carros em Iracemápolis (SP) após concluir que a unidade não mais se enquadra no processo de reestruturação do grupo.

A instalação de Iracemápolis recebeu investimentos de 170 milhões de euros para ser aberta em 2016. A unidade foi inaugurada em meio a uma onda de novas fábricas de veículos de luxo no país, de marcas como BMW e Audi, da Volkswagen, que vieram ao Brasil sob o programa governamental Inovar Auto.

"A empresa decidiu encerrar a produção de automóveis premium na fábrica de Iracemápolis, no interior de São Paulo. A decisão está sendo tomada com base em vários fatores, incluindo a atual situação do mercado brasileiro", afirmou a Mercedes-Benz em comunicado à imprensa.

O Inovar Auto passou a valer em 2013, em uma época em que o real estava mais valorizado e em que uma série de marcas asiáticas começaram a importar grandes volumes de veículos, incomodando marcas já estabelecidas no país. O programa teve vigência até o final de 2017.

Em abril daquele ano, Philipp Schiemer, então presidente da companhia no Brasil afirmou em entrevista à revista Exame que a fábrica de Iracemápolis poderia ser fechada se deixasse de ser rentável. Questionada na época pela Reuters a montadora afirmou que a interpretação dada à fala do executivo foi equivocada e que manteria os investimentos na unidade "por acreditar no potencial do segmento de automóveis premium no Brasil e pela grande aceitação dos modelos produzidos nacionalmente".

Segundo o comunicado desta quinta-feira, a Mercedes-Benz vai buscar alternativas para os 370 funcionários da fábrica. "incluindo a possibilidade de um Programa de Demissão Voluntária".

O fim da produção de carros em Iracemápolis marca a segunda vez em que a Mercedes-Benz desiste de produzir carros no Brasil. A empresa chegou a ter uma primeira fábrica de veículos de passeio em Juiz de Fora (MG), que começou a produzir o modelo Classe A em 1999. Em 2012, a unidade foi convertida para integrar o esquema de produção de caminhões da marca no país.