Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.259,75
    -658,25 (-0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.707,72
    +55,52 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,78
    -0,07 (-0,18%)
     
  • OURO

    1.903,40
    -1,80 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    13.016,75
    -0,77 (-0,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,05
    -1,40 (-0,54%)
     
  • S&P500

    3.465,39
    +11,90 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    28.335,57
    -28,13 (-0,10%)
     
  • FTSE

    5.860,28
    +74,63 (+1,29%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,68 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.516,59
    +42,29 (+0,18%)
     
  • NASDAQ

    11.669,25
    +19,50 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6630
    +0,0529 (+0,80%)
     

Mercedes admite que pode ter ido longe demais na oferta de carros compactos

br.info@motor1.com (Dyogo Fagundes)
·1 minuto de leitura
Mercedes-Benz Classe A250 (BR)
Mercedes-Benz Classe A250 (BR)

CEO confessa que empresa tem hoje mais modelos na categoria do que realmente precisa

Atualmente formada por veículos como Classe A, Classe A Sedan, Classe A Sedan LWB (versão alongada exclusiva da China), Classe B, CLA, CLA Shooting Brake, GLA e GLB, a gama de modelos compactos da Mercedes-Benz parece ter crescido além do planejado. Em entrevista concedida recentemente, o próprio CEO da marca, Ola Källenius, admitiu que a estratégia foi exagerada e que a empresa "foi um pouco longe demais para cobrir espaços em cada segmento".

Segundo o executivo, não há interesse em fazer da marca "concorrente de fabricantes de grande volume” e, por conta disso, mudanças serão implementadas em breve. Detalhes específicos ainda são desconhecidos, mas desde já a Mercedes-Benz deixa claro que não irá encerrar a produção de nenhum modelo (até porque todos foram recentemente renovados e estão atualizados no mercado).

Ao que tudo indica, a mudança prometida será no sentido de concentrar atenção na comercialização das versões topo de linha desses veículos, de modo a alcançar maiores margens de lucro. Essa decisão provavelmente está relacionada ao anúncio feito nesta semana sobre o fim da oferta de câmbio manual. Esse tipo de transmissão equipa geralmente níveis de acabamento mais baratos e, portanto, com margens mais enxutas.

Leia também:

Apesar de não incluir fim de linha para nenhum compacto, a nova estratégia deve afetar modelos maiores. É o caso de SLC, Classe S Coupé e Classe S Conversível, que não terão direito à novas gerações. Além disso, não haverá sinal verde para desenvolvimento do GLA Coupé, que vinha sendo especulado como concorrente do BMW X2.


Source: Automotive News Europe